Um tiroteio em uma mesquita islâmica de #Quebec, Canadá, deixou abalada a comunidade canadense, gerando repercussão mundial. Os últimos relatórios divulgados indicam que pode haver ao menos quatro mortos e várias pessoas feridas.

O tiroteio aconteceu no Centro Cultural Islâmico de Quebec, na noite deste domingo, 29. De acordo com o 'The Guardian', testemunhas relataram que cerca de 40 pessoas faziam orações no templo no momento dos tiros. Dois suspeitos foram presos, mas a polícia considera a hipótese de haver mais envolvidos. A rede 'CBC' informa que a ação teria o envolvimento de uma terceira pessoa ainda não localizada.

Publicidade
Publicidade

No início das apurações, ocorreram alguns desencontros de informações. Diretores do Centro Cultural Islâmico haviam informado cinco mortes, número posteriormente reduzido para quatro por testemunhas. O 'La Presse' informou que o #Ataque teria ocorrido por volta das 21h15 do domingo (00h15, no horário de Brasília) e ao menos um dos suspeitos estaria armado com um fuzil AK-47. Os dirigentes da mesquita, porém, relatam que o fato ocorreu uma hora e quinze minutos antes, por volta das 20h.

Chocado com o incidente, o primeiro-ministro do Quebec, Philippe Couillard, chamou o ataque de "violência bárbara". "Toda a nossa solidariedade com aqueles que são próximos das vítimas, dos feridos e de suas famílias", disse em sua conta no Twitter. Além dele, o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, também se pronunciou nas redes sociais sobre a tragédia.

Publicidade

"Hoje à noite, os canadenses sofrem pelos mortos em um ataque covarde em uma mesquita de Quebec. Meus pensamentos estão com as vítimas e suas famílias."

Nos últimos meses, a mesquita sofreu vários atos de vandalismo e mensagens xenófobas. A polícia canadense está concentrada nas investigações e apurações mais precisas sobre o que teria ocorrido, bem como o envolvimento de mais atiradores no atentado que tem aparência de intolerância religiosa. Mais informações da imprensa e das autoridades canadenses devem surgir nas próximas horas. #Mundo