O #Facebook novamente foi alvo da transmissão ao vivo de um suicídio. Frederick Jay Bowdy, ator americano, transmitiu sua morte no dia 23 de janeiro por meio do Facebook Live, informou o jornal "Los Angeles Time".

Segundo investigação, o crime ocorreu logo após o ator ser acusado de abusar sexualmente de uma jovem na cidade de Santa Clarita. O ator estava em liberdade, após pagamento de fiança no valor de 100.000 dólares, de acordo com o sargento do Condado de Los Angeles, Janice Banks.

O ator de 33 anos anunciou aos seguidores que assistiam à sua transmissão ao vivo pelo Facebook Live que iria se matar. Um membro de sua família, que se encontrava em outro estado, tomou conhecimento e acionou o Departamento de Polícia de Los Angeles por volta das 5h30 da manhã.

Publicidade
Publicidade

Os agentes que foram ao local esperavam encontrá-lo com vida, mas quando chegaram ao endereço, o suicídio já havia acontecido.

Muitos dos usuários que assistiam à transmissão achavam ser uma montagem, já que Bowdy era ator. Após perceberem que o ator havia tirado a própria vida, muitos ficaram aterrorizados e chocados com o acontecimento. A gravação foi retirada do ar mais tarde pelo próprio Facebook.

Outro caso de suicídio transmitido pelo Facebook Live

O Facebook Live, uma ferramenta de transmissão de vídeos ao vivo, tem sido muito utilizado para práticas criminosas e suicidas. O mais recente foi o da jovem Katelyn Nicole Davis, de 12 anos, que filmou a própria morte após ser vítima de abuso sexual por uma pessoa da própria família.

Na transmissão, a garota apareceu contando como o abuso aconteceu.

Publicidade

Em seguida, subiu em uma árvore, em sua própria residência e se enforcou no final do vídeo. No vídeo é possível ouvir uma voz que supostamente parece ser de sua. A menina foi socorrida, mas infelizmente não resistiu.

A transmissão foi compartilhada por diversos usuários da rede social. O Departamento de Polícia de Polk, local onde a jovem residia, tentou impedir o compartilhamento do vídeo, mas, infelizmente, as imagens se espalharam rapidamente.

O suicídio ocorreu no dia 30 de dezembro de 2016, mas as investigações ainda continuam a fim de descobrir quem abusou sexualmente da garota. #2017 #Casos de polícia