Não há dúvidas de que a #Internet é o meio mais rápido e eficiente de uma pessoa transmitir um conteúdo para milhares de indivíduos ao mesmo tempo. Para isso, basta uma publicação na maior rede social da web: Facebook.

Contudo, devido a abrangência da página, que permite aos usuários se expressarem - desde que sigam as regras -, às vezes, divulgações sinistras impulsionadas por motivos obscuros, são exibidas ao público antes de serem apagadas.

Um exemplo de bizarrices expostas nas redes sociais aconteceu na segunda-feira (23), segundo informações do periódico Los Angeles Times.

Na ocasião, Frederick Jay Bowdy, 33 anos, ator em início de carreira em Hollywood, transmitiu uma filmagem em tempo real, pelo Facebook, onde ele foi visto por milhares de usuários atirando na própria cabeça.

Publicidade
Publicidade

O suicídio foi motivado por acusações de agressão sexual, que o jovem respondia na cidade de Santa Clarita, Califórnia (EUA).

Conforme o sargento Janice Banks, dias antes da tragédia o ator foi preso acusado pelo crime. Ele havia deixado a prisão na sexta-feira (20), após pagar fiança de 100 mil dólares.

Em entrevista ao jornal New York Daily News, o usuário do Facebook Meco Harden, que acompanhou os momentos finais de Jay Bowdy, descreveu a transmissão do perturbador suicídio.

“A voz dele. Sua dor. Suas lágrimas. Tudo o que ele disse. O som dele puxando o gatilho e ouvindo seu sangue derramar me confundiu! Nunca esquecerei esse som. Agitou-me até o fundo”, revelou Harden.

O vídeo, excluído do Facebook instantes após a tragédia, fez o porta-voz da rede social emitir uma declaração a respeito do acontecido, ao jornal britânico Daily Mail.

Publicidade

Conforme a empresa, além de regularem os tipos de textos, vídeos e imagens que podem ser compartilhados, eles monitoram a rede regularmente, com objetivo de identificar irregularidades.

"Nossas equipes trabalham 24 horas por dia para analisar o conteúdo que está sendo relatado pelos usuários e temos sistemas em vigor para garantir que o conteúdo sensível ao tempo seja tratado rapidamente", disse o membro do Facebook.

Curta carreira

O ator, casado e pai de seis filhos, além de participar de pequenos curtas metragens, protagonizou em 2016 o filme Prepper, que conta a história de um professor da escola primária que acaba se tornando um “preparador apocalíptico” – aquelas pessoas que constroem bunkers e acumulam mantimentos afim de aguardar o fim do mundo.

Este ano, ele estava prestes a estrear a película esportiva intitulada Going Vertical.

Bowdy tinha diploma de bacharel pela Universidade do Oeste da Geórgia e mestrado em Educação pela Universidade do Texas em Arlington.

Suicídios recentes na web

Um dia antes de Frederick Jay Bowdy se matar, a adolescente de 14 anos, Nakia Venant, de Miami, transmitiu sua morte por enforcamento ao vivo na internet.

Publicidade

No entanto, três semanas antes, outra menina, Katelyn Nicole Davis, 12 anos, também gravou sua morte em tempo real na rede social, no quintal de casa, na Geórgia.

Tudo indica que o fenômeno do “suicídio virtual” é um assunto a ser estudado por especialistas em psiquiatria e psicologia, afim de desvendar os complexos meandros da mente humana. #Mídia #Curiosidades