Foi em julho de 1998 que Kamiyah Mobley, uma bebê recém-nascida, foi roubada de sua mãe. Shanara Mobley não teve sua bebê por mais do que oito horas. Pouco depois do parto, em um hospital da Florida, nos Estados Unidos da América, uma alegada #enfermeira levou a menina, dizendo que ela estava com uma febre e precisava fazer um tratamento em uma outra sala. Foi essa a última vez que Shanara viu a sua filha, até agora, o momento em que a jovem foi encontrada viva, 18 anos depois, vivendo com a sua sequestradora.

Foram 18 anos de procura para uma família destroçada, depois de uma bebê ser levada, sem que ninguém no hospital conseguisse impedir.

Publicidade
Publicidade

No primeiro ano, a polícia americana teria investigado mais de duas mil pistas, mas nunca conseguiram chegar perto do paradeiro da menina. O caso até chegou na TV, onde a criança foi procurada, mas parecia não haver solução para essa menina desaparecida.

A família processou o hospital, que deixou uma mulher se passar por enfermeira e levar uma bebê, sem que ninguém o impedisse. O hospital pagou uma indenização de 1.2 milhão de dólares, em um caso que parecia não ter solução. A família, no entanto, nunca perdeu a esperança e continuou sempre tentando manter a investigação decorrendo.

E a verdade é que o esforço de família e policiais acabou compensando. 18 anos depois, a menina, agora feita mulher, foi encontrada em uma casa, vivendo com a mulher que, alegadamente, a roubou do hospital. Gloria Williams é a principal suspeita desse caso, e já foi detida pelos policiais.

Publicidade

Entretanto, já foram feitos testes de DNA, que confirmaram que se trata mesmo de Kamiyah, a filha de Shanara Mobley.

A menina foi criada como filha de Gloria, e é nisso que ela acredita, desconhecendo, por completo, todo o seu passado. Todas essas novas informações estariam sendo um choque pesado para Kamiyah, que viu a mulher que ela pensava ser sua mãe, sendo presa e acusada de a ter raptado dos braços da mãe verdadeira.

De acordo com o jornal Mirror, a jovem estaria fazendo acompanhamento psicológico e só quando se sentir preparada é que ela vai começar convivendo com a família biológica, que ela desconheceu toda a vida.

Fica então resolvido um dos casos de #Rapto mais antigos, que dá esperança para outros pais, uma vez que a jovem foi encontrada viva e bem tratada. A investigação vai prosseguir, até porque existiriam ainda mais suspeitos, para enfrentarem a Justiça americana, junto com Gloria Williams. #Bebê