Pelo que tudo indica, vem “chumbo grosso” no que diz respeito à diplomacia internacional envolvendo o Brasil e um país distante, formado por um arquipélago, a saber, as Filipinas. O problema tem caráter de #Crime em ambas as nações e o Itamaraty vem se inteirando da situação de uma mulher de nacionalidade brasileira de 20 anos de idade, que foi detida no mês de outubro de 2016 sob a terrível acusação de tráfico internacional de drogas no Aeroporto Internacional de Manila, capital do país asiático. Especificamente, a prisão se deu no dia 3 de outubro do ano passado, quando foi constatado pela polícia local que a brasileira Yasmin Fernandes Silva carregava um total superior a seis quilos de cocaína, acondicionados no interior de um inofensivo travesseiro, conforme noticiaram os jornalistas filipinos.

Publicidade
Publicidade

O começo da trajetória de Yasmin foi o embarque em um vôo no Estado de São Paulo, fazendo uma escala na cidade de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Até esta parte do percurso, a moça não foi pega pela polícia de ambos os aeroportos, mas seu destino começou a mudar quando o avião em que estava aterrissou em Manila e no ato do desembarque, junto com os demais passageiros, Yasmin foi logo parada para maiores averiguações, uma vez que as autoridades desconfiaram do travesseiro que trazia na bagagem.

Já os governantes do Brasil disseram que os funcionários da representação brasileira que atuam na embaixada da capital Manila, acompanham de perto desde outubro o caso da traficante brasileira e que o corpo consular está prestando auxílio jurídico a Yasmin, por meio de um advogado filipino.

Publicidade

Vale frisar que este acontecimento ocorre em um período muito complicado tanto para o Brasil, que passa por sérios reveses políticos e econômicos, quanto para as Filipinas, que tem na pessoa do seu presidente Rodrigo Duterte um líder controverso, que já disse ter matado pessoalmente muitos ladrões, traficantes e que especificamente neste momento vem aumentando o combate em relação aos narcotraficantes. Duterte luta inclusive pelo retorno da pena capital (morte) para os indivíduos que vierem a ser julgados e condenados por tráfico de drogas das mais diferentes composições e espécies.

É muito comum que as nações asiáticas sejam exemplares no ato de punir as pessoas capturadas praticando o tráfico nas suas regiões e alguns exemplos ainda estão bem vívidos nas cabeças dos demais brasileiros, pois em 2015, Rodrigo Gularte e Marco Archer foram mortos por fuzilamento na Indonésia por causa do tráfico de drogas e não adiantou de nada que o governo brasileiro protestasse e recorresse em diversos canais internacionais. E qual é a sua opinião sobre o que deve acontecer com a brasileira presa em Manila, Filipinas? #Casos de polícia #Morte