Minnie Graham, de 98 anos, morava em um abrigo no Texas, Estados Unidos, por necessitar de cuidados profissionais em tempo integral. A #idosa era uma mulher muito gentil e fácil de conviver pela boa educação, seus familiares acharam que um local especializado poderia cuidar melhor da senhora.

As netas de Minnie, Terri e Shirley, costumavam visitar a avó todas as semanas, e numa dessas visitas a avó reclamou de dores, comentou que as cuidadoras estavam a machucando. As netas ficaram nervosas e procuraram a diretoria do local para relatar as reclamações da avó.

Os responsáveis pelo abrigo afirmaram que não estava acontecendo nada e que Minnie havia caído da cadeira de rodas, por isso, estava com dores, mas garantiram que foi apenas um pequeno acidente que não iria se repetir.

Publicidade
Publicidade

Os familiares de Minnie passaram a visitá-la com mais frequência e perceberam que havia hematomas pelo corpo da idosa, preocupados com a situação resolveram colocar uma câmera escondida dentro do quarto para monitorar o dia-a-dia de Minnie.

Quando a família da idosa assistiu ao #Vídeo ficaram chocados com as cenas, nas gravações dava para ver claramente a cuidadora que Minnie tanta reclamava, batendo e puxando os cabelos da senhora.

As agressões não foram somente físicas como também verbais, a funcionária ofendia a idosa com palavrões e ainda a chamava de retardada. Minnie gritava por socorro, mas ninguém dentro do local fazia nada. Outra funcionaria também apareceu no vídeo gritando e empurrando Minnie.

A família denunciou as cuidadoras e entregou as gravações para a polícia e afirmaram que vão fazer o que for preciso para que as agressoras paguem pelo crime.

Publicidade

O abrigo demitiu as funcionarias, mas elas ainda não foram presas.

Minnie faleceu semanas após o ocorrido, parentes e amigos acreditam que as agressões fizeram com que a idosa perdesse a vontade de viver. Os netos e bisnetos de Minnie comentaram o caso e afirmaram que a ideia de colocar a avó em um abrigo era para ela se melhora cuidada e não para sofre. #agressão