Mais uma para os arquivos do que acontece quando o crime aproveita o suposto anonimato e segurança das redes sociais para mostrar sua cara hedionda na crença de que escapará impune. O fato se deu na noite do último sábado em Uppsala, cidade sueca de cerca de 150 mil habitantes, que fica perto de Estocolmo, capital do país nórdico.

A investigação da polícia sueca continua, mas, aparentemente, uma mulher foi estuprada, e seus violentadores, longe de se contentar com a agressão no mundo real, resolveram estender seu #Crime ao espaço virtual, transmitindo por cerca de três horas no Facebook Live o ataque para um grupo na rede social, que durou cerca três horas.

Publicidade
Publicidade

Internautas compreensivelmente atônitos assistiram a moça ter suas vestes rasgadas por seus captores, munidos de armas de fogo, e ser abusada sexualmente. Um dos membros do grupo para o qual as imagens - transmitidas ao vivo, lembremos - foram transmitidas e que foi fechado depois do crime, disse achar esse comportamento doentio e inexplicável.

Uma usuária do Facebook, Josefine Lundgren, de 21 anos de idade, chamou a polícia ao se dar conta do que significavam as imagens horrorizantes diante de seus olhos.

Felizmente, a chegada da polícia, que dominou os malfeitores e desligou a webcam, pôs fim ao filme de terror da vida real. Segundo testemunhas virtuais, a mulher parecia perto de estar inconsciente quando os homens a atacaram. A polícia vai examinar o apartamento onde se deram os fatos para tentar descobrir exatamente o que se passou no local.

Publicidade

Casos do gênero, infelizmente, vêm se fazendo notar de forma alarmante ao redor do mundo, às vezes ganhando conotações políticas, dependendo da situação local. Em Chicago, fortaleza do partido democrata, quatro jovens negros entre os 18 e os 24 anos estão sendo processados por, alegadamente, terem, no começo deste mês, sequestrado um homem branco, mantido-o prisioneiro por dois dias e transmitido uma sessão de tortura com ele por meia hora e forçaram-no sob ameaça de morte a gritar xingamentos contra o presidente estadunidense recém-empossado dos EUA, membro do Partido Republicano. Depois de libertada por seus captores, a vítima foi achada vagando pelas ruas da cidade, desorientada. #Estupro #Chocante