Na Alemanha, foi criada uma #Roupa interior para prevenir casos de #Estupro. O novo short foi criado logo após o Réveillon de 2015, quando foram denunciados 22 estupros, por mulheres, em Colônia. O seu inventor pretende com isso que não seja assim tão fácil para os agressores abusarem sexualmente dessas mulheres. A roupa interior tem um bloqueio, com um código secreto, que quando for cortado, faz disparar um #Alarme, alertando familiares, amigos ou polícia.

A marca que está vendendo essa roupa alerta que é raro o dia em que não se leia uma manchete de um estupro, na Alemanha, referindo ainda um caso de um pai, em Kleve, que teria chegado a tempo, impedindo que a sua filha fosse estuprada.

Publicidade
Publicidade

Isso porque o alarme suou quando o agressor estaria tentando tirar o short anti-estupro da menina. "O short é feito de material resistente ao corte e a fechadura significa que eles não podem ser demolidos.O alarme é ativado automaticamente se a roupa for cortada", está anunciando a marca.

Opiniões divididas sobre short anti-estupro

A ideia parece ter agradado a várias pessoas e estaria fazendo sucesso no mercado alemão. Porém, são muitas as pessoas que estão apontando várias críticas, e algumas não duvidam que isso serviu apenas para fazer negócio e vender a calcinha. Para começar, um problema é logo o preço. São cem euros por cada short anti-estupro, que a marca estaria cobrando. Um valor considerado muito elevado. "Para pagar esse preço por cada cueca, contrato um segurança para a minha filha", escreveu um usuário nas redes sociais, desagradada com a quantia pedida.

Publicidade

Entre os comentários dos alemães estão ainda aquelas pessoas que consideram que isso não vai resolver nada, uma vez que se o agressor ameaçar a mulher, ela terá que introduzir o código, para salvaguardar a sua vida, e o estupro acabará acontecendo da mesma forma. Algumas pessoas estão também pensando em outros contras que esse short pode trazer. No século 21, isso poderia significar uma forte censura contra a liberdade sexual de uma mulher. Para algumas pessoas, isso pode fazer com que maridos e pais forcem as mulheres a usarem isso, para controlarem a sua vida sexual. Mas quase todos concordam que, basta um estupro que seja impedido, para que essa seja uma boa medida.

E o leitor, o que pensa disso? Seria uma boa medida? Ou também pensa que pode ser apenas um negócio? Deixe sua opinião!