A empresa é de Londres, Inglaterra, e se chama 'Naturist Cleaners', que em português pode se traduzir como faxineiras naturistas. A empresa é de faxina e faz todo o trabalho de casa, com a única diferença de que as #mulheres de #limpeza estão peladas, enquanto fazem o seu trabalho. Agora, a empresa está recrutando novas funcionárias "de todas as idades e formas", com o único requisito de que o trabalho é feito vestindo "apenas chinelos e luvas". A proposta pode parecer estranha, mas parece que não estão faltando candidatas por todo o Reino Unido.

A proposta da Naturist Cleaners é sempre a de procurar pessoas naturistas, que sejam profissionais e que queiram se juntar a essa empresa, para "limpar casas particulares em todo o Reino Unido".

Publicidade
Publicidade

A maior parte dos clientes dessa empresa fazem #nudismo e seria essa a razão que esteve na origem da criação de uma empresa com uma premissa tão particular, como a de trabalhar pelada.

A dona da empresa, Laura Smith, contou para o jornal The Sun que a ideia surgiu quando um cliente nudista perguntou se não haveria problema em ficar pelado, enquanto que ela trabalhava. Depois disso, e com tantas pessoas fazendo nudismo, ela não teve mais problemas em arranjar clientes, mesmo que o serviço fique bem mais caro do que um serviço normal de faxina. "A maioria que usa o serviço é nudista", disse ela.

A empresa tem já dois anos e está fazendo sucesso, como mostra o número de candidatas que continuam recebendo sempre. Para os empregados, nem será tanto a questão do nudismo, que fica pesando na hora de aceitar esse emprego, mas sim, o cachê, que é bem mais atrativo do que o normal para fazer faxina.

Publicidade

O pagamento é feito por hora, e elas ganham 55 dólares por cada hora de trabalho, em casa particular.

No entanto, o serviço fica ainda um pouco mais caro para os clientes. Na primeira hora, eles pagam 80 dólares e nas seguintes, 67 dólares. "É um serviço para a comunidade nudista. Somos uma empresa de limpeza. Não há nada sexual sobre o negócio", contou Laura Smith, que deixou bem claro que os clientes podem ficar olhando, pelados também, mas não podem tocar nas empregadas, nem tirar foto ou fazer vídeo.

E o leitor, o que pensa dessa nova fórmula de limpeza? Concorda com isso? Gostaria de ter esse serviço na sua cidade? Deixe sua opinião!