Um terremoto de grandes proporções foi registrado na madrugada deste domingo, 22, em Papua Nova Guiné, país da Oceania formado por diversas ilhas. Logo em seguida, autoridades da região deflagraram um alerta de tsunami, indicando que a população das áreas de risco evite permanecer no litoral e que monitorem a situação com frequência.

A região é frequentemente atingida por esse tipo de fenômeno, e o caso mais conhecido acontecido há alguns anos na Indonésia, foi destaque em todo o #Mundo, chamando a atenção para esse tipo de evento. O epicentro do terremoto aconteceu no leste do país e atingiu 8 graus na Escala Richter, que mede o poder de destruição de terremotos.

Publicidade
Publicidade

Vale lembrar que a escala vai até 9, o que confirma a preocupação dos cientistas e especialistas de todo o mundo.

Abalos secundários podem agravar a situação

Outra preocupação nesse tipo de evento são os abalos sísmicos secundários, aqueles que acontecem posteriormente ao terremoto principal. Grande parte dos países banhados pelo Oceano Pacífico estão em alerta máximo e monitoram a situação em tempo real, já que a evacuação de áreas de risco é a principal medida para evitar catástrofes que resultem em grande número de vítimas.

Ainda segundo especialistas, embora o terremoto tenha sido de grandes proporções, não há riscos para países como o Brasil, devido à grande distância do epicentro do abalo. Banhado pelo Oceano Atlântico, o país se encontra em uma posição privilegiada, com razoável distância dos pontos de contato entre as placas tectônicas, locais propícios para esse tipo de fenômeno.

Publicidade

Autoridades locais chamam a atenção também das pessoas que têm viagens programadas para a região e aconselham muita cautela, já que o ideal é esperar que a situação em todo o Pacífico se normalize. O alerta atinge países populosos como o Japão, a Indonésia e a Austrália.

Não existe ainda confirmação de nenhum estrago material ou de vítimas do terremoto, e o alerta continua válido até que seja suspenso pelas autoridades competentes. #2017