Roger Ailes, CEO e agora ex-presidente da emissora #Fox News, foi deposto de seu cargo em julho de 2016 em meio a acusações de #Assédio sexual feitas por Gretchen Carlson, ex-âncora do canal. Em uma tentativa de evitar outro momento delicado, a 21st Century Fox fechou secretamente um acordo milionário na última segunda-feira, referente às acusações de Juliet Huddy contra Bill O’Reilly.

A #repórter Juliet Huddy expôs, de acordo com uma carta de seus advogados para a rede Fox News, que o apresentador Bill O’Reilly começou a assediá-la em 2011, quando ele exercia grande influência sobre sua carreira. Ao rejeitar seus avanços, O’Reilly tentou destruir a carreira de Huddy.

Publicidade
Publicidade

A carta incluiu, além de outras alegações, que O’Rilley ligava insistentemente para sua colega e às vezes soava como se ele estivesse se masturbando. Um rascunho desse documento foi obtido pelo jornal The New York Times. A carta também foi enviada para jornalistas do The Times, anonimamente, em dezembro de 2016.

No acordo, que protege o acusado de ser processado, feito entre Juliet Huddy e a rede 21st Fox Century, a repórter recebeu uma quantia de pelo menos seis dígitos, segundo pessoas envolvidas. Tanto a empresa quanto o advogado de O'Reilly disseram que tais alegações eram falsas, e o apresentador continuou normalmente com sua grade semanal. O site Lawnewz.com relatou pela primeira vez a existência desse acordo na tarde da última segunda-feira

Representantes de O'Reilly e da Fox News rejeitaram as acusações na noite de segunda-feira e um comunicado feito pela porta-voz da emissora, Irena Briganti, apontou que a carta contém falsidades substanciais.

Publicidade

O advogado do apresentador também afirmou que não existe base para qualquer alegação de assédio sexual contra Bill O’Reilly por Juliet Huddy. A advogada de Huddy, Jeanne M. Christensen, se recusou a comentar.

As denúncias contra O’Reilly foram apresentadas à Fox News em agosto. O acordo foi obtido em 5 de setembro, quando a empresa estava finalizando outros acordos, incluindo um com Gretchen Carlson, ex-âncora do canal, cujo assédio sexual forçou a saída de Roger Ailes.

Ainda segundo a carta, Juliet Hully começou a sofrer retaliações por parte do apresentador, após rejeitar as investidas dele. O’Rilley passou a criticar seu trabalho e a repreendê-la sem motivos, além de surpreendê-la com ângulos de história que não tinham sido discutidos. Em 2013, Huddy foi substituída em um quadro que ela tinha em seu show e outro quadro em que ela aparecia, chamado "Mad as Hell", foi cancelado.

Esse não é o primeiro caso de assédio envolvendo Bill O’Rilley. A produtora de seu programa, Andrea Mackris, o processou em 2004, alegando que ele havia feito indesejáveis ​​avanços sexuais e comentários obscenos em uma série de conversas casuais e telefonemas.

Publicidade

Esse episódio também foi silenciado por um acordo milionário.

O valor da quebra do contrato de confidencialidade é de 500 mil dólares e Huddy também será responsabilizada caso seus advogados, ou uma pessoa próxima a ela, revelarem os termos do acordo.

Em 7 de setembro, a repórter, que tinha apresentado o "Good Day Early Call", entrou na estação e deu um adeus comovente: "Obrigada a todos que fizeram dos últimos 20 anos os mais desafiadores, mas os melhores da minha vida. Talvez algum dia, mesmo um dia em breve, vocês me vejam na televisão novamente."