Quem conhecia a jovem Keiana Herndon, de apenas 25 anos, sabia que ela gostava de compartilhar diariamente sua vida e sua rotina em redes sociais. E no último dia 28 de dezembro, a garota estava fazendo uma #Transmissão, ao vivo, pelo #Facebook e começou a suar frio, de repente ela passou mal e caiu. No local só estavam Keiana e o filho, sem socorro ou ajuda, a garota morreu na hora.

Segundo informações de um tio da jovem, muitos amigos estavam online no momento da transmissão e inclusive estavam assistindo ao vídeo. E a transmissão só foi encerrada quando um amigo de Keiana entrou na casa e se deparou com ela caída e rapidamente ligou para o resgate, mesmo a garota sendo socorrida, não resistiu e faleceu.

Publicidade
Publicidade

Jeffery Herndon, tio da garota, deu uma entrevista ao jornal Washington Post, um dos maiores jornais dos Estados Unidos, falando sobre o ocorrido e contou que no momento em que começou a transmissão havia aproximadamente 20 pessoas assistindo, e quando Keiana estava suando e não demorou muito para ela desmaiar. Ele conta que foi incrível como o vídeo se espalhou pela internet em segundos, logo depois que a garota caiu desmaiada.

O pai da jovem, o senhor Richard Herndon, também concedeu uma entrevista para um jornal bastante conhecido nos Estados Unidos, o New York Daily, e demonstrou sua indignação com as pessoas que conseguiram assistir a tudo e não fizeram nada, nem sequer ligaram para algum familiar. Ele falou que muitos amigos ficaram assistindo à garota passar mal até cair morta e ainda compartilharam esse momento doloroso para família.

Publicidade

Familiares próximos de Keiana contaram que a garota sofria sérios problemas com a tireoide e que, nos últimos dias, teve alguns desmaios frequentes, mas por decisão da própria garota poucas pessoas sabiam da doença.

Amigos e conhecidos criaram uma página na internet para arrecadação de dinheiro, no intuito de ajudar a família com funeral e outros gastos. Um dia após a #Morte da jovem, a página arrecadou um bom dinheiro e serviu para amparar a família nas despesas.