Katelyn Nicole Davis, uma #Jovem americana de 12 anos, moradora da Geórgia, município de Cedartown, transmitiu sua própria morte pela internet. As imagens foram divulgadas dia 30 de dezembro pelo #Facebook. O vídeo tem cerca de 20 minutos de duração e aconteceu no quintal da própria casa da vítima.

No vídeo, a jovem começa relatando que era abusada por um familiar. A criança relata com detalhes as atrocidades desse familiar e no desfecho ela pede perdão a família por não ser tão boa, bonita, por parecer uma prostituta e por fazer parte da vida deles tão pouco tempo. Nesse momento, a jovem se enforca. Ao fundo é possível ver a mãe gritando desesperada e chamando o 911.

Publicidade
Publicidade

A polícia atendeu rapidamente ao chamado da mãe e levou a jovem ao hospital mais próximo, mas ela já chegou morta no local, vítima de enforcamento.

Os abutres virtuais vem compartilhando massivamente o vídeo, que por decisão judicial já deveria sido tirado do ar. A "Fox" informou em notícia ao vivo que o Departamento de Polícia do Condado de Polk está impotente quando ao fato do vídeo circular na internet e nada pode fazer, atribuindo autoridade a Justiça do país.

As autoridades locais de Polk estão preocupadas quanto ao compartilhamento massivo do vídeo, pois poderia servir de "incentivo" a outras crianças que passam por problemas semelhantes. Antes mesmo da Justiça americana ter decidido suspender a divulgação do vídeo, as autoridades locais entraram em contato com vários sites, Youtube e Facebook alertando do conteúdo das imagens e pedindo sua retirada do ar.

Publicidade

Katelyn já dava sinais de que cometeria suicídio. Num blog, a garota, dia 27 de dezembro, faz um relato de abuso sexual cometido por um familiar do sexo masculino. A criança afirma também que foi agredida com um cinto e havia sido obrigada a se matar em frente aos irmãos mais novos.

Em outra postagem, ela afirma estar depressiva e dizia sobre a possibilidade de cometer #Suicídio.

A polícia local afirmou que o foco agora é investigar se a garota vinha realmente sendo abusada e por quem. O caso repercutiu amplamente nos Estados Unidos.

Veja fotos da jovem