Nesta segunda-feira, 9, o tabloide inglês 'Mirro' publicou imagens de um vídeo que está causando revolta em muitas pessoas. Um estudante, que não teve o nome identificado, repetidamente chutou sua mãe. O motivo, de acordo com o site, seria surreal. A mãe apenas havia pedido para ele parar de jogar joguinhos em seu telefone celular. O garoto, de nove anos, acompanhava sua mãe e sua avó idosa em um hospital local na cidade de Guangzhou, capital da província de Guangdong, no sul da China, e queria matar o tempo jogando no aparelho.

As imagens acabaram repercutindo em todo o mundo. Os espectadores das mídias sociais chinesas criticaram o comportamento do menino, mas disseram também que os pais do garoto eram tão culpados quanto ele.

Publicidade
Publicidade

Os modos violentos da criança, segundo muitos internautas, seriam um retrato da falta de limites, que não seriam impostos em sua residência. Na sequência do conteúdo, o garoto mostra que tem habilidade com as pernas e consegue, de fato, chutar muito alto.

No entanto, nem a mãe, tampouco a avó, parecem tomar qualquer medida mais rígida contra o menor de idade. O comportamento tão fora do comum fez muita gente levantar a hipótese de que a criança não apenas seria muito mal educada, mas que pode ter algum problema mental. Não dá para saber se isso é possível apenas assistindo ao vídeo. No entanto, a publicação fez com que muita gente passasse a discutir os limites entre pais e filhos.

No Brasil, por exemplo, existe a chamada 'Lei da Palmada', cujo objetivo é impedir que pais batam em seus filhos.

Publicidade

Muita gente é contra à essa lei, já outros argumentam que ela foi feita para evitar espancamentos.

Veja abaixo o vídeo que mostra o momento exato em que o garoto ataca a própria mãe. Atenção, as imagens abaixo podem ser consideradas fortes por algumas pessoas.

Na sua opinião, há como conter esse tipo de violência desta criança? Não esqueça de deixar o seu comentário. A sua opinião é sempre importante para todos nós e nos ajuda a criar diálogo sobre esse e outros temas.

#Crime