Neste último sábado (07), em uma entrevista o ilusionista David Blaine, revelou que quase perdeu a vida em uma apresentação realizada em novembro do ano passado, em Las Vegas. O mágico que é famoso por realizar truques e experiências de quase morte, sempre desafiou as leis da física para realizar seus shows. Contudo, o último espetáculo realizado saiu totalmente fora do controle e ele correu sérios riscos de vida. A apresentação foi realizada no Grand Garden Arena e estava sendo televisionada.

O desafio consistia em realizar um disparo contra a cabeça de David e ele ‘pegaria’ o tiro com a boca. No momento do espetáculo ele usava uma espécie de protetor na boca que supostamente absorveria o impacto do projétil.

Publicidade
Publicidade

Além do protetor, ele segurava um espelho, e uma das mãos e na outra uma corda no qual efetuaria o disparo.

Uma luz de laser vista através do espelho sinalizava a ele se a bala atingiria o lugar correto no protetor para que nada desse errado. No entanto, como é possível ver nas imagens, o objeto que deveria absorver o impacto sai ligeiramente do lugar, o que causa o acidente. David não morreu, mas teve laceração graves na garganta devido ao erro. Assista ao vídeo impressionante no link a seguir:

Durante a entrevista concedida no último fim de semana, ele relatou que no instante em que recebeu o impacto imaginou que morreria. Segundo ele, no momento sentiu um barulho extremamente forte nos ouvidos, e uma dor na garganta, ele realmente pensou que a bala tivesse atravessado a sua cabeça.

Nas imagens é possível ver que logo após o espetáculo Blaine ficou extremamente atordoado, e somente minutos depois recuperou a consciência de que estava bem, apesar dos ferimentos.

Publicidade

Um paramédico olhou a garganta do artista e percebeu que ele tinha ferimentos consideráveis. Ele foi levado até um hospital para ser atendido.

Os produtores dos shows e amigos de David aparecem nas gravações dizendo que nunca mais participariam de uma apresentação assim. Que todo o show estava saindo do controle, um deles chega a mencionar que não queria ser testemunha da morte do amigo. Segundo ele, seria possível fazer um espetáculo bom sem chegar ao ponto de alguém morrer. David pareceu não se importar com as considerações dos companheiros. #Crime #Casos de polícia