A polícia mudou toda a investigação do caso de uma bebê que foi encontrada morta. Inicialmente, os policiais ingleses tinham detido um homem, mas estão agora seguros em informar que ele não é suspeito. Pelo contrário, é a #mãe da #Bebêzinha quem ficou detida. O julgamento recomeça a 2 de março e tudo indica que vai ter algumas revelações ainda mais chocantes.

A bebê foi encontrada morta no caixote do lixo da cozinha de um apartamento de Lancashire, na Inglaterra, neste mês de janeiro. Os resultados da autópsia teriam sido conclusivos, provando como causa de morte "múltiplas feridas", alegadamente provocadas por facadas.

Publicidade
Publicidade

Depois de assassinada, a menina foi jogada no lixo. E, ao que tudo indica, foi sua própria mãe quem fez tudo isso. Rachel Tunstill, de 26 anos e natural de Burnley, Lancashire, está acusada pela morte da própria filha, ainda bebê. A recém-.nascida foi "esfaqueada repetidamente", de acordo com as revelações escutadas no inquérito inicial desse caso.

O caso vai ser julgado no tribunal de Preston, onde a mãe deverá apresentar sua defesa, a partir de sete de abril. A polícia de Lancashire parece satisfeita com a investigação realizada, que permitiu que eles acusassem a mãe da recém-nascida.

Nesse momento, Rachel está sendo acusada de assassinato. A detetive-chefe Jill Johnston lamenta o inconveniente de terem detido um homem, que pensavam estar envolvido, mas estão neste momento convencidos de sua inocência.

Publicidade

O homem já foi libertado, sem qualquer acusação, e pelas declarações de Jill, ele seria da família do bebê, possivelmente o pai. "Os meus pensamentos estão com ele neste momento difícil", disse a policial, referindo ainda que tanto ele como "a família mais numerosa do bebê" estão recebendo apoio por especialistas, neste momento de perda, de acordo com as declarações no jornal The Sun.

A investigação não teria sido fácil, por vários indícios, mas também por ser sempre um caso delicado, envolvendo um bebê. Porém, na hora em que acusam formalmente a mãe da bebê, a detetive Jill Johnston agradece pelo trabalho de todos os envolvidos: "Gostaria de agradecer à comunidade por sua cooperação e compreensão durante o que até agora tem sido um inquérito difícil e sensível e estou certo de que a cooperação continuará."

O caso vai agora continuar, mas no tribunal. #Crime