Após ser flagrada em um vídeo polêmico, a pastora identificada como Zelia Ribeiro aparece danificando a imagem de Nossa Senhora de Aparecida, e durante as gravações, ficou claro que a mulher também demonstrou certa intolerância religiosa. O ato de desrespeito aconteceu na última quinta-feira (12), na cidade de Botucatu, em São Paulo. De acordo com as imagens, é possível perceber que a #Pastora desfere várias marteladas contra a imagem da santa, até que ela seja completamente destruída.

As imagens foram gravadas por um cinegrafista amador, com o uso de um celular e logo em seguida foram publicadas pelas redes sociais. Em pouco tempo, a publicação acabou obtendo centenas de milhares de visualizações e compartilhamentos.

Publicidade
Publicidade

Muitos usuários acabaram repudiando a atitude da pastora. O responsável por publicar o vídeo em sua página do Facebook, seria um membro da igreja evangélica, que se viu obrigado a apagar sua publicação depois da onda de repercussões negativas referente ao caso.

Mas o vídeo acabou sendo salvo por outros usuários e publicado no WhatsApp. Enquanto a líder religiosa quebra a santa com o martelo, os demais fiéis em volta começam a fazer várias orações. "Oh, glória. Aleluia, Jesus''. Após o incidente, alguns sites sensacionalistas aproveitaram-se da ocasião para espalhar falsos boatos pela internet. Nas publicações, informam que religiosa teria sofrido uma parada cardíaca algumas horas depois de ter quebrado a imagem da santa e que na ocasião a mulher teve que ser levada às pressas para um hospital municipal da cidade, onde já teria chegado sem vida.

Publicidade

Durante sua experiência de "quase morte", o espírito da religiosa teria sido levado para o além, onde ela teria conversado com os anjos minutos antes de retornar de volta para vida. O mais estranho nessa história é que a religiosa teria dado tal declaração enquanto recuperava-se em um quarto do hospital. Outro fato que chama a atenção é que não existe nenhuma evidência que comprove que a pastora tenha feito tal declaração enquanto estava internada.

Segundo Stéfano Garzezi, diretor de redação do jornal Diário Botucatu, a religiosa não apresenta nenhum problema de saúde. Levando-se em consideração que no dia seguinte ela apareceu dando entrevistas para o jornal. Foi quando a religiosa resolveu se desculpar por ter destruído a imagem da santa, e disse estar arrependida do que fez. #ato de vandalismo #Religião