O ministério “Bíblias para o Oriente Médio” tem relatado muitos testemunhos de alguns muçulmanos que estariam se encontrando com Jesus. Um jovem, que não teve o nome revelado por razões de segurança, deu o seu testemunho sobre o encontro com o Messias. O pai do rapaz é um dos lideres das autoridades religiosas em sua nação e ele também é o grande responsável pela imposição na região onde vive.

Haroon, nome fictício dado ao jovem, nasceu e cresceu em uma família na qual as leis islamitas predominavam 100%, mas, segundo ele, uma experiência que ele teve com Jesus fez com que ele desistisse do Islamismo e também da sua vida de comandante de um grupo de soldado jihadista.

Publicidade
Publicidade

Esse grupo tem, como o principal objetivo, “proteger a sua #Religião” e essa frase também tem outro significado: lutar contra os infiéis, incluindo os que acreditam em Jesus.

O que aconteceu?

Haroon contou que ficou sabendo que um grupo de seguidores de cristo estaria no Mar Arábico, realizando o batismo de alguns fiéis e ele reuniu os seus soldados para impedir a cerimônia. A intenção do rapaz e seus seguidores era matar a todos os evangélicos com intuito da religião acabar. Mas, segundo ele, algo aconteceu e fez com que impedisse a ação dele e dos soldados, e o motivo teria sido o próprio Jesus Cristo.

Depois da cerimônia de batismo, os seguidores de Jesus teriam entrado em um ônibus quando os soldados os perseguiram e eles atiraram. Nesse exato momento, uma tempestade de areia teria separado os diferentes grupos e os islamitas teriam ouvido uma voz muito forte que dizia: “Por que me persegues? É difícil para vocês lutarem contra os aguilhões”.

Publicidade

Haroon contou que todos os membros do grupo radicalista teriam escutado tudo, ficaram mudos e bastante confusos. Segundo o ex-radicalista, as armas foram levadas para bem longe e eles ouviram de novo a voz de Jesus, dizendo: “Eu vim ao mundo não para destruí-los, mas para salvá-los. Vão em paz”. No relato, ele conta que dois membros acreditavam que a voz não era de Alá, o Deus da religião Islã, e se desentenderam com os demais.

Haroon teria contado tudo aos seus pais, mas eles teriam ordenado a não contar nada a ninguém. #Terrorismo #Morte