A estudante Katelyn Nicole Davis, de Cedartown, Geórgia, nos Estados Unidos, disse aos telespectadores que ela havia sido abusada sexualmente por um membro da família antes de se enforcar, ao vivo na câmera.

O clipe perturbador mostrou Katelyn filmando seu próprio #Suicídio no jardim em frente de sua casa. Agora, o vídeo foi compartilhado entre as mídias sociais, mas a polícia local disse que não há nada que eles possam fazer para evitar isso.

Os serviços de emergência correram para a casa de Katelyn em 30 de dezembro, mas ela foi declarada morta depois de ter sido levada para a unidade de emergência do Polk Medical Center, informou o canal Fox 5.

Publicidade
Publicidade

O vídeo foi removido de sua página no Facebook, mas oficiais locais no Polk County Police Department dizem que foram inundados com chamadas de todo o mundo alertando-os para sites que compartilham o vídeo.

A polícia está investigando sua morte. Katelyn postou em seu blog em 27 de dezembro alegando que ela havia sido abusada sexualmente por um parente, informou Coosa Valley News.

Uma instituição de caridade juvenil líder no Reino Unido alertou que este vídeo poderia causar mortes iguais.

Heather Dickinson, do Papyrus, que visa prevenir jovens suicídas, disse que este clipe angustiante poderia fazer com que outros adolescentes tenham pensamentos suicidas.

Ela disse: "Meu coração vai para a pessoa deste vídeo, que perdeu a vida, este é, obviamente, um caso muito triste. Este vídeo pode ser muito desencadeante para outros adolescentes, mas como uma instituição de caridade, estamos aqui para apoiar qualquer pessoa que é afetada."

Dickinson disse que a instituição de caridade percebeu o impacto que a mídia social estava tendo em adolescentes e que eles receberam inúmeras chamadas das atividades negativamente impactadas on-line.

Publicidade

Ela disse: "A geração mais jovem está acostumada a colocar suas vidas inteiras no Facebook, é a maneira que eles se comunicam.

"Nas gerações anteriores, você pode ter tido um ou dois amigos em torno de um bate-papo - enquanto que agora tudo está em mídias sociais, incluindo discussões em grupo.

As pessoas perdem a comunicação e falam sobre seus problemas. " A instituição de caridade disse que recebe um grande volume de pedidos de ajuda de adolescentes, mas não através de sua linha telefônica - através de texto e e-mail em vez disso. #Tragédia