Natasha Khan, de 18 anos, foi presa por ter esfaqueado seis vezes a amante do seu marido. A jovem de Whalley Range, Manchester, atacou ferozmente Leah Cryne, também de 18 anos, e alegada #Amante do seu marido, Hamza Farid. A jovem esposa estaria em situação de grande estresse, quando estava no hospital, com seu filho bebê morrendo. Enquanto isso, o marido estaria dormindo com Leah, que depois ainda teria provocado Natasha, dizendo que esperava que o "bebê morresse".

Leah Cryne foi levada para o hospital, com ferimentos no ombro direito e no braço esquerdo. A jovem foi encontrada, na sua casa, caída no chão todo ensanguentado.

Publicidade
Publicidade

Terminou assim uma feroz discussão entre as duas jovens, que estava durando há algum tempo.

Quando Natasha descobriu as traições do marido, com quem tinha um #Casamento islâmico religioso de pouco tempo, ela não se aguentou e foi procurar pela amante. Depois do casamento, ela tinha engravidado de Aydin. Porém, o bebê nasceu 24 semanas antes do tempo, e por ser tão prematuro, ele ficou no hospital, lutando pela vida. O menino acabaria por morrer, dois meses depois do seu nascimento, sem nunca ter deixado o hospital.

Foi nesse tempo de maior angústia e sofrimento que a jovem Natasha foi procurar por Leah. As duas teriam trocado alguns telefonemas agressivos, até que a esposa conseguiu se encontrar com a amante do marido, levando para esse encontro uma faca. E foi em um desses telefonemas, que a irmã de Natasha escutou, a amante desejando a morte do bebê Aydin.

Publicidade

"Espero que seu filho morra e, quando acontecer, eu vou desenterrá-lo e cuspir nele", teria falado Leah. Em resposta, Khan retorquiu em ameaça: "Escute, quando eu te encontrar, que Deus te ajude".

Enfurecida com tudo isso, Natasha premeditou o ataque e feriu a rival, com gravidade. Após o ataque, ela foi presa e na quarta-feira, 18, ela foi condenada a a três anos e quatro meses de cadeia, para jovens agressores, depois de ela ter admitido ter agredido com intenção.

Richard Lees, o advogado que esteve defendendo Natasha Khan, no tribunal, considerou que a jovem estava "psicologicamente afetada, como uma mãe aflita", que estava perdendo o seu bebê. Também o juiz entendeu tudo isso, mas considerou que ela "descarregou todas as frustrações em Leah", daí sua sentença. Porém, deixou bem claro que percebeu que as decisões de Natasha foram "afetadas por sua dor" e pelo "estresse profundo" que ela estava lidando na época. #agressão