Quatro jovens afro-americanos foram presos nos Estados Unidos por torturarem um adolescente branco, portador de uma deficiência física. O rapaz, que é morador de Chicago, foi obrigado até a beber água de um vaso sanitário, enquanto os seus agressores o ameaçavam de morte com uma faca. Toda a ação foi transmitida por meio do Facebook, ao vivo, e vista por milhares de pessoas.

A transmissão durou inacreditáveis trinta minutos. Nela, dois homens aparecem cortando as mangas de suas camisas e começam a bater no jovem deficiente, que não teve o seu nome identificado. O rapaz tem o cabelo cortado de maneira cruel. Inclusive, no vídeo, o couro cabeludo dele começa a sangrar.

Publicidade
Publicidade

Nas imagens apavorantes, os criminosos fazem ofensas contra os brancos e também ao presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump. A polícia de Chicago agora investiga se o #Crime teria sido motivado pelo ódio. Nos Estados Unidos, o racismo gera conflitos sociais graves em várias comunidades. Diferentemente do Brasil, onde é miscigenação é maior, por lá existem bairros inteiros formados por cidadãos negros e também regiões onde os brancos predominam. Até meados dos anos 1980, um branco que tentasse ir a um bairro negro corria sério perigo (e vice-versa). Atualmente, apesar do clima mais ameno, conflitos e episódios esporádicos, como esse, assustam os norte-americanos.

Enquanto batem no deficiente físico, os agressores dão gargalhadas, fumam e até ouvem música. Já a vítima, por vezes, parece "petrificada", aterrorizada com o que lhe acontece.

Publicidade

A polícia local diz que o crime é "repugnante" e que os quatro jovens que realizam o crime - dois homens e duas mulheres - já foram presos. Eles não tiveram seus nomes identificados. O chefe da polícia de Chicago, Eddie Johnson, disse em uma entrevista que crimes como esse servem para reflexão e fazem pensar por que alguém faria isso com outra pessoa.

Na sua opinião, o que pode ter feito esses jovens decidirem por atacar um deficiente e transmitir tudo no Facebook? Comente!