Uma foto registrada em novembro de 2014 ainda gera notícias em todo o mundo. A fotógrafa Heather Whitten estava com o filho com febre e o pai do menino a ajudou no cuidado com a criança. Para isso, ele ficou sentado no chuveiro, enquanto a água caía nos dois. A imagem foi publicada meses depois nas redes sociais, em maio de 2015. A partir daí, a vida da fotógrafa começou a tornar-se um inferno e ela agora pode entrar na lista de pessoas que abusam de crianças. A mãe é acusada de deixar o pai abusar do filho por essa simples foto, que na verdade, Heather afirma apenas mostrar o cuidado entre pais e filhos.

História indigna mãe fotógrafa e ela pode ser proibida de trabalhar

Tudo começou por conta de uma única denúncia.

Publicidade
Publicidade

Enquanto milhares de pessoas acharam o gesto bonito, algumas criticaram a mãe. O momento de ternura eternizado em uma imagem pode gerar o pior para a fotógrafa. Além de ser mal vista profissionalmente, ela enfrentará um tribunal e pode até ser presa. Acostumada a fazer fotos de partos, mostrando os nascimentos dos pequenos, Whitten viu sua quantidade de trabalho diminuir. A foto gerou tanta polêmica que se tornou notícia em todo o mundo. O próprio Facebook chegou a excluir algumas vezes a imagem. No entanto, por fim, a rede social pediu desculpa pela exclusão e permitiu que a foto ficasse online.

Acusações fortes

Agora a fotógrafa e o seu marido, que aparece na imagem, Thomas, são investigados pelo Departamento de Polícia da cidade de Arizona, nos Estados Unidos. Os dois são acusados de abuso contra o menino.

Publicidade

A mãe agora abriu uma petição online pedindo ajuda aos seus fãs, que já conhecem essa história que dura quase três anos. Além da prisão, uma pena menor e mais provável é que a mulher fique vinte e cinco anos impedida de trabalhar com crianças, ou adotar um filho. Como o que ela faz é justamente mostrar partos, a profissional seria proibida de exercer seu trabalho.

A audiência acontecerá já na semana que vem e a mãe pede ajuda, inclusive, para ter dinheiro que a possa ajudar com um advogado experiente nesse tipo de causa. #Crime