Jayne Pearce, de 23 anos, passou três meses na cadeia, depois que duas mulheres a acusaram erroneamente de ter tentado matar um bebê. Apesar de ter sido liberada da cadeia, ela nunca mais conseguiu se recuperar psicologicamente. Seu estado de ansiedade teria se agravado quando foi chamada para depor sobre esse caso, o que a iria colocar na frente das duas acusadoras. Dias antes desse momento, ela foi encontrada morta, alegadamente depois de uma #overdose. Jayne era #mãe solteira e deixou órfão um filho de quatro anos.

Tudo começou quando Leonie Hampson-Ogden, de 23 anos, e Shauna Stanway, 21, acusaram Jayne de ter tentado sufocar um bebê de três meses.

Publicidade
Publicidade

As acusações seriam falsas, mas de nada valeram os gritos de inocência dessa mãe, que acabou mesmo na cadeia. A polícia deteve a mulher, mesmo sem o bebê apresentar qualquer lesão. Jayne teria usado um celular de uma das mulheres, e deixou sua conta ligada no Facebook. A mulher, por maldade, colocou um depoimento na página de Jayne, onde assumia sua agressão.

A polícia encarou essas provas e levou a mulher para a cadeia, onde ficou três meses, aguardando por julgamento. Só quando ficou provado que todas as acusações eram falsas ou manipuladas, é que Jayne foi colocada em liberdade, mas os danos psicológicos de todo esse tempo de detenção injusta, acabariam sendo fatais para ela.

Pearce foi encontrada morta em seu apartamento em Oldham, em Greater Manchester, depois de ter ingerido uma combinação fatal de vodca, cocaína e a droga antidepressiva fluoxetina, apenas dois dias antes que ela declarasse no tribunal.

Publicidade

Esse momento teria pesado muito na consciência da jovem, que até escreveu isso mesmo na sua página de Facebook. "Só quando eu acho que tudo está acabado, tudo isso é arrastado de volta, oh, bem, a justiça tem que ser feita. Pelo menos isso coloca meu nome limpo e as pessoas podem parar com suas mentiras", escreveu a mulher, claramente sem conseguir seguir em frente com essa difamação de que estava sendo vítima.

Mas nem a sede de justiça foram suficientes e ela não teria aguentado a pressão. No tribunal, o legista disse: "Mesmo que ela não esteja aqui hoje, espero que, através deste processo, seu nome seja limpo na imprensa para mostrar aos outros que ela não fez o que foi alegado".

Hampson-Ogden e Stanway que a acusaram injustamente serão sentenciadas, no próximo mês. #Bebês