Um nascimento no hospital de Patna, em Bihar, Índia, está chocando todo o pessoal médico e ainda várias pessoas, que tentaram entrar no hospital, para ver a bebê, que acabava de nascer. As identidades dos familiares estão sendo protegidas, mas a #mãe, uma mulher de 28 anos, já prestou declarações na imprensa, onde se revela "traumatizada". Ela e toda a família, que se recusam em aceitar a bebê. A menina nasceu com ictiose arlequim, uma rara deformidade genética, que faz com que ela pareça que não tem pele. A mãe nem quer pegar a menina no colo, nem sequer dar a mama para ela.

Os pais são ainda jovens e estão chocados com a bebê que receberam, que estão chamando de "maldição" e de "alien".

Publicidade
Publicidade

Por isso mesmo, se recusam em aceitar a neném. "Eu não tenho ideia de como isso aconteceu", revelou a mãe.

O que é ictiose arlequim?

É uma doença genética rara, muito grave, caracterizada pelo espessamento da pele, fazendo com que os #Bebês nasçam com uma pele grossa, que tende em repuxar, causando deformações em todo o corpo e nos órgãos. Por causa da pele rachada, os pacientes com esta condição são frequentemente suscetíveis a infecções bacterianas graves, que são muitas vezes fatais. Geralmente, os bebês que nascem com ictiose arlequim morrem poucas semanas após o nascimento.

As causas da ictiose Arlequim ainda não são totalmente esclarecidas, mas pais consanguíneos tem maiores chances de ter um bebê assim, mas também acontece quando se trata de um caso agudo de desnutrição.

Pais estão horrorizados

"Eu e minha família estamos completamente devastados.

Publicidade

Eu estou em estado de choque, porque eu realmente estava ansiosa para tornar-me uma mãe de uma criança saudável", falou essa mãe, que nem consegue segurar nessa bebê. Os médicos pediram para ela tentar amamentar a criança, mas ela não conseguiu. Desde que o caso ficou conhecido, que várias pessoas estavam acorrendo a esse hospital, desejosos para ver a bebê, infelizmente famosa por essa rara deformidade. No hospital, não estão deixando ninguém entrar, preocupados em preservarem a saúde da menina, mas também a privacidade de essa família.

Os médicos acreditam que a menina não sobreviveria por muito tempo, como nenhum de seus órgãos se desenvolveram corretamente e que a "probabilidade da sobrevivência de tais casos é somente um em 10 milhões".

Assista ao vídeo da bebê

(imagens são potencialmente perturbadoras)

#Amamentação