O sonho de toda mãe ao ter seu filho é carregar ele em seus braços. Toda mãe sonha em cuidar dos seus pequenos e ver eles crescerem aos poucos sob o cuidado delas. Toda mãe tem o instinto maternal de proteção e cuidado extremo com seus filhos. Afastar uma mãe de seu filho pequeno é como tirar-lhe o ar, as mães ficam preocupadas mesmo sabendo que o filho está bem em outro lugar.

Imagina o que seria a dor imensurável de uma mãe que tem o seu filho raptado no dia do parto? Essa deve ser uma das piores dores que uma mãe pode sentir na vida. Essa história não é tão incomum assim e pode acontecer com qualquer pessoa. O roubo de bebês em maternidades já foi até tema de novela, mas dessa vez, uma mãe descobriu onde estava sua filha após 18 anos de investigação.

Publicidade
Publicidade

Uma jovem bebê que havia sido roubada por uma mulher que fingiu ser uma enfermeira acaba de saber que sua mãe verdadeira é outra. A jovem jamais desconfiou do que aconteceu com ela e defende sua mãe dizendo que ela não é uma criminosa.

Por ter passado tanto tempo ao lado da enfermeira que tirou ela de perto de sua verdadeira mãe, Alexis Kelli Manigo não percebeu nada de diferente. Ela era apenas um bebê com poucas horas de vida quando Gloria Willians roubou ela de sua verdadeira mãe. Alexis que na verdade chama-se Kamyah Mobley, nome que sua verdadeira mãe escolheu para a jovem está muito abalada com essa reviravolta em sua vida.

A garota não quer saber de sua verdadeira mãe e está do lado da mulher que afastou ela de sua família. Para Kamyah sua mãe é quem a criou e deu tudo que ela teve durante toda sua infância.

Publicidade

A jovem defende os criminosos que afastaram ela de Shanara durante seu julgamento, em Jacksonville na Flórida. Assista:

O #Crime só foi descoberto após a realização de um exame de DNA, que comprovou que Kamyah não é filha de Gloria. A menina nasceu no dia 10 de julho de 1998 no University Medical Center. O crime segue sem solução até que 18 anos depois foi descoberto pelas autoridades que sua falsa mãe vestiu-se de enfermeira e entrou no quarto que a jovem estava após oito horas de seu nascimento. #Investigação Criminal