O criador de uma das maiores redes sociais do mundo, acredite, é empenhado em manter sua #privacidade. Sua preocupação é tanta, que Mark Zuckerberg, o fundador do #Facebook, comprou um mega terreno, com 2.800 km², no Havaí, localizado na ilha de Kauai. A área é do tamanho do bairro de Pinheiros, em São Paulo, ou equivalente a três vezes o bairro da Graça, em Salvador (BA).

O terreno foi comprado em 2014 e custou US$ 100 milhões ou, em reais, cerca de 317 milhões. Porém, mesmo com todo o investimento, o fundador do Facebook não está tendo a sua privacidade respeitada e está processando toda a vizinhança ao redor.

Isso porque, ao fazer a comprar, o terreno veio acompanhado por uma questão histórica e legal existente há mais de um século: os vizinhos têm o direito e podem entrar sem a autorização do dono em uma parte do terreno.

Publicidade
Publicidade

A história do terreno em questão foi marcada entre 1850 e 1855, quando a ilha de Kauai foi concedida a agricultores nativos por meio de parcelamento. Na época, as autoridades determinaram que a posse das terras fosse hereditária, de pai para filho, e que não poderiam ser vendidas, de forma alguma. Garantindo, assim, o respeito com relação à distribuição das terras.

Com o passar dos anos, muitas dessas áreas distribuídas, foram consideradas improdutivas e muitos dos herdeiros que têm direito sobre os terrenos nem sabem que eles existem.

Mesmo com a improvável chance de alguém invadir a área, Mark Zuckerberg quer a posse total de toda a área. Para isso, vem traçando a árvore genealógica dos donos originais e, juntamente com especialistas na história do Havaí, busca contato com os herdeiros vivos.

Publicidade

Todo o trabalhos de pesquisa e assessoria jurídica já trouxe retorno. Caso for provado em juízo que as terras são realmente improdutivas, elas poderão ir a leilão aberto ao público. E nesse caso, ao menos oito terrenos se encaixam no perfil e, claro, já estão nos planos Mark Zuckerberg.

O empresário disse, em seu perfil no Facebook, que não expulsará ninguém das terras e ainda acrescentou que a grande maioria dos herdeiros será paga por terras que nem sabem que possuem. Quando todos forem localizados, participarão dos leilões e receberão alguns milhares de dólares.

De acordo com o levantamento feito, o dono legítimo da propriedade, que hoje vale US$ 1,1 milhão de dólares (R$ 3,5 milhões), possui cerca de 150 herdeiros.

Apesar das centenas de processos abertos contra a vizinhança, não houve, efetivamente, grandes tumultos ou brigas com as famílias da região.

Em outra ocasião, quando o bilionário comprou sua mansão oficial na Califórnia, Mark comprou também as quatro casas vizinhas e as anexou à sua propriedade. Mark Zuckerberg quer, a todo custo, apenas manter a sua privacidade. Quem diria. #MarkZuckerberg