A Agência Espacial Norte-Americana (#Nasa) revelou os planos de estabelecer colônias humanas em #Marte até 2030. Em um relatório de 36 páginas, o órgão explica todos os detalhes do ambicioso projeto chamado “Jornada para Marte”, que pretende criar uma colonização humana permanente no planeta vermelho.

“Nas próximas décadas, a Nasa vai colocar em prática medidas para estabelecer a presença humana além da Terra. Buscamos capacidade para pessoas trabalharem e aprenderem a manter uma vida sustentável fora da Terra por longos períodos de tempo. Qualquer viagem a Marte vai levar muitos meses e um retorno precoce não é uma opção.

Publicidade
Publicidade

Viver e trabalhar no espaço requer aceitar o risco, e o risco desta viagem vale a pena”, afirma o relatório.

Atualmente, a Agência Espacial Norte-Americana está fazendo diversos testes com foguetes e propulsores que podem levar os seres humanos até o planeta vermelho. Além dos testes com foguetes, a Nasa também faz testes com seres humanos para sobreviver ao clima hostil de Marte.

Para chegar ao planeta, os cientistas irão primeiro ao espaço Cislunar, que fica no entorno da Lua, e depois começarão as viagens com destino ao planeta.

Recrutas

No final de agosto de 2016, um grupo de seis pessoas concluiu uma missão da Nasa de simulação de vida em Marte. Todos os participantes conviveram em isolamento total em um vulcão no Havaí, nos Estados Unidos.

Ao fim do teste, o francês Cyprien Verseux, integrante do grupo, declarou: "Posso dar minha impressão pessoal que é a de que a missão para Marte no futuro próximo é realista.

Publicidade

Acredito que os obstáculos tecnológicos e psicológicos podem ser superados."

Outras empresas

Não é só a Nasa que planeja uma colônia humana em Marte em um futuro próximo. A empresa SpaceX, do bilionário Elon Musk, também apresentou seus planos para colonização de Marte.

Além da Nasa e da SpaceX, o projeto privado #Mars One, do engenheiro holandês Bas Lansdorp, também planeja uma colonização humana no planeta vermelho. A Mars One se recusa a aceitar verba governamental e será financiada através de patrocínios e da exploração da expedição pela mídia.