Um caso divulgado nesta terça-feira, 3, está chocando o mundo católico. De acordo com informações do jornal 'O Globo', um padre identificado como Andrea Contin, de 48 anos, está sendo acusado de promover relações íntimas grupais dentro da reitoria da própria igreja, localizada na cidade de Pádua, na Itália. A igreja de San Lazzaro teria em seus corredores o rastro da imoralidade de seu pároco, segundo conta a matéria de 'O Globo'. Andrea é acusado de ganhar dinheiro fazendo violência psicológica contra os fiéis.

A polícia e a própria igreja católica teriam apreendido vídeos e brinquedos sexuais que seriam utilizados pelo religioso.

Publicidade
Publicidade

As imagens mostrariam orgias acontecendo dentro da instituição. O material foi encontrado depois que três fiéis decidiram denunciar Andrea. Um dos vídeos 'proibidos' mostra o padre usando um capa diocesana, na qual estão escritos os nomes de vários Papas. Para se ordenar pároco, o homem escolhe o chamado celibato, que significa não ter nenhum tipo de relação sexual.

Com o dinheiro da igreja, o padre ainda teria feito muitas viagens pela Europa com garotas de programa, que ele mesmo agenciava. Elas faziam até filmes adultos com a ajuda do religioso. As viagens teriam acontecido em países como a Croácia, França e Áustria. Andrea adorava um resort francês dedicado ao naturismo, ou seja, um local onde as pessoas podem andar sem nenhum tipo de roupa.

Não é a primeira vez que o pároco é denunciado.

Publicidade

No segundo semestre do ano passado, um bispo italiano já tinha enviado uma mensagem interna ao Vaticano. No entanto, o caso ainda não havia sido levado à polícia, mas apenas sendo investigado pelo próprio clero. Em entrevista a um jornal local, uma mulher de 49 anos, que trabalhava na igreja, disse que chegou a manter relações com o padre na reitoria do local sagrado.

Telefonemas e mensagens também comprovariam os atos pecaminosos do religioso. Ele segue solto, mas é alvo agora de uma investigação na justiça dos homens. Uma promotoria verifica as denúncias contra ele. #Religião