Neste fim de semana, começou a circular nas redes sociais um vídeo que mostra um crime cinematográfico. De acordo com o site 1 News, em matéria publicada nesta terça-feira, 3, o #Crime teria acontecido na semana passada, em um shopping da China. O vídeo começa com um homem fazendo uma vítima refém. O sequestrador, que reclamava do governo chinês, fez de refém uma mulher que trabalhava no shopping. O criminoso parece bastante alterado e conversa com um policial vestido à paisana. O homem que bate um papo com o sequestrador está com uma arma na cintura e tenta dialogar com ele, provavelmente dizendo que matar a vítima que está em suas mãos não é a melhor escolha.

Publicidade
Publicidade

A cena não parece muito tranquila.

Na negociação, o bandido teria pedido uma bebida a ser levada por uma enfermeira e não um policial comum. Talvez ele estivesse com medo de ser morto ou preso. Assim como o solicitado, uma mulher vestida de enfermeira aparece e entrega um líquido para o homem. Não é possível saber ao certo o que ele bebe. Enquanto bebe a substância, o sequestrador acaba se distraindo e dá um espaço entre o seu corpo e o da vítima. A mulher então revela que sua profissão, na verdade, não era a de enfermeira, como aquele meliante alterado poderia acreditar, mas sim a de policial. Com uma arma em punhos, ele dá um tiro certeiro no criminoso, que cai com os braços e pernas abertas. Ela teria matado o meliante. A destreza e talento da policial realmente impressionam.

Publicidade

O homem, que até então servia de refém, consegue sair correndo, enquanto a "enfermeira" e outros agentes verificam se aquele sequestrador está vivo. Felizmente, esse crime terminou com a vítima muito bem e o trabalho da polícia foi mesmo certeiro. O bandido, no entanto, como diz o site 1 News, não teria conseguido sobreviver à essa empreitada no shopping.

Veja abaixo o vídeo do momento que mostra toda a ação. Na sua opinião, essa agente da lei merecia algum tipo de premiação? Deixe o seu comentário. Ele é sempre muito importante para todos nós.

#Investigação Criminal