Uma #Professora de inglês em Houston, nos Estados Unidos, foi condenada a 10 anos de prisão nesta sexta-feira (13). O juiz Michael McSpadden, do estado do Texas, condenou a professora Alexandria Vera por em 2015, na época com 24 anos, ter mantido relações sexuais com um #aluno de 13 anos e engravidando do menino.

O juiz disse que queria "dar o exemplo" no sentido de evitar futuros casos semelhantes entre professores e alunos, sejam eles do sexo que for. Segundo ainda Michael McSpadden, casos parecidos ocorrem com frequência, mas quando o professor é do sexo masculino ganha muito mais repercussão.

Gravidez

No instituto do Distrito Escolar Independente de Aldine, nas redondezas da cidade americana de Houstou, a professora, que lecionava a disciplina de inglês, conheceu o estudante de 13 anos e começou a se relacionar com ele.

Publicidade
Publicidade

O relacionamento culminou em uma gravidez. Segundo testemunhas ouvidas no caso, os pais haviam mostrado concordar com o relacionamento e com a gravidez.

Entretanto, a professora decidiu abortar a criança. A decisão veio, quando um oficial de bem-estar da família (equivalente a um assistente social no Brasil) interpelou a professora sobre a gravidez. O pai do jovem ainda tentou simular um relacionamento com Alexandria para acobertar o que realmente houve, mas em juízo a verdade veio à tona.

Decisão judicial

A pena de 10 anos de prisão poderia ser abrandada pelo fato de a professora declarar-se culpada do crime de abuso sexual, o que é considerado atenuante de pena nos EUA. A estratégia da defesa é que, com a declaração, ela poderia receber um relaxamento da pena, com uma possível liberdade condicional.

Publicidade

Entretanto, pesou contra Alexandria também o fato de testemunhas relatarem que a professora cedia sua casa para outros alunos e alunas manterem relações sexuais, que associado ao "exemplo" que o juiz quis demonstrar a professores potenciais agressores de menores, não houve qualquer abrandamento.

Os pais do garoto estiveram no tribunal para apoiar testemunhar a favor da professora, mas nem isso foi capaz de sensibilizar o juiz. Será que se o professor fosse homem e a abusada fosse mulher e ela engravidasse, a reação dos pais seria a mesma? Comente! #Estupro