A União Europeia anunciou que irá apresentar um plano para fechar uma das principais entradas de imigrantes e #Refugiados que saem da Líbia à Itália, a chamada Rota do Mediterrâneo. Todos os dias, milhares de embarcações superlotadas fazem a travessia de refugiados que fogem dos conflitos religiosos que ocorrem no Oriente Médio.

O plano será apresentado em fevereiro para a italiana Federica Mogherini, alta representante da Politica Externa da União Europeia, durante uma reunião informal em Valeta, capital de Malta. A iniciativa tem como objetivo treinar a Guarda Costeira da Líbia e também o fornecimento naval para que o país tenha um maior controle sobre suas águas e seu território.

Publicidade
Publicidade

Além disso, a União Europeia fornecerá cerca de 200 milhões de euros para que a Líbia reforce suas fronteiras com Egito, Argélia e Tunísia, evitando assim que novas rotas de fuga sejam criadas dentro dessas fronteiras. Outras medidas também foram propostas para melhorar as condições de vida nos campos de acolhimentos dessas regiões.

Um dos planos é incentivar o retorno de alguns imigrantes imigrantes, já que muitos são enquadrados como imigrantes econômicos, não tendo direito de refugio em seus países de origem.

No ano de 2016, o caminho marítimo Líbia/ Itália voltou a ser uma das principais Rotas do Mediterrâneo para entrada na Europa, devido ao fechamento, pela União Europeia, em parceria com o governo turco, da Via Balcânica - rota que começava na Síria e entrava pela Europa, através da Grécia.

Publicidade

A maioria dos imigrantes tem como destino o litoral italiano, sendo a maior parte deles de origem africana, mais especificamente da região subsaariana. Em 2016, a Itália recebeu cerca de 181.000 imigrantes, aumentando sua população em 20%, se comparada ao ano de 2015.

Muitos dos imigrantes que fogem de seus países e entram na Europa, fazem isso por causa das guerras religiosas e também em função das disputas étnicas que ocorrem nesses países. A situação faz com que, a cada ano, as populações europeias aumentem e as dos países vizinhos, diminuam. #Política #Mundo