As festividades religiosas costumam, geralmente, ter uma raiz comum, independente da parte do mundo em que são celebradas ou mesmo cultuadas. Obviamente, algumas delas se destacam mais em determinadas regiões geográficas e outras nem tanto. Foi exatamente isso o que aconteceu, por exemplo, no último dia 6 de janeiro, sexta-feira, nos países que adotaram o cristianismo oriental ou ortodoxo como a #Religião oficial. Falando-se ainda mais especificamente da Igreja Ortodoxa Grega, que com os seus fiéis e simpatizantes, de nacionalidade grega na sua maioria, fizeram questão de celebrar pontualmente o que é chamado de “Epifânia”, que, segundo a tradição dos cristãos ortodoxos, nada mais do que é a comemoração do batismo de Jesus Cristo.

Publicidade
Publicidade

A celebração é caracterizada pelos serviços que não param na véspera nas igrejas ortodoxas e principalmente com a tradicional bênção das águas, qué se repete ano após ano, sempre em janeiro, onde as pessoas, na sua maioria homens de uma comunidade grega da área, se lançam no mar para poder, assim, resgatar uma cruz que é lançada pelo bispo ou padre da localidade.

O costume jamais morre, tanto que, por exemplo, na linda ilha grega de Quios, localizada de frente para o litoral da Turquia, o mau tempo com ventos fortes e a água gelada do Mar Mediterrâneo não restringiu que as festividades tivessem continuidade, sendo que um único homem se lançou ao mar para recuperar a cruz ortodoxa.

Já na região sul da #Grécia, no Peloponeso Ocidental, está uma das maiores cidades do país que é Patras e lá alguns homens quase partiram para o embate físico pela disputa em saber quem mergulharia para buscar a cruz.

Publicidade

Mas não é só na Grécia que o costume da Epifânia se faz presente, pois nos #EUA, local em que há uma antiga e grande colônia de imigrantes gregos, a região de Tarpon Springs, no estado da Flórida, é o que reúne o maior número de participantes desse ritual religioso milenar. Neste ano, foi celebrado o 111º aniversário da Epifânia em solo norte-americano, reunindo milhares de fiéis oriundos de todo o globo e que viram o Arcebispo Demetrios da América lançar a cruz na água. O “vencedor” ou quem conseguiu trazer a cruz à tona em Tarpon Springs foi um jovem de 18 anos, chamado Joseph Cooley.

O Patriarca Ecumênico Bartolomeu que mora na cidade de Istambul, na Turquia, foi o responsável por dirigir o cerimonial naquela localidade, recebendo os peregrinos vindos da Grécia, os quais foram acolhidos e participaram com outras pessoas que compõem a pequena comunidade grega atualmente na cidade, até mesmo porque a Grécia e a Turquia são inimigos milenares.

Nesse último encontro, a cruz foi resgatada pelo peregrino e cristão ortodoxo-grego Nikolas Solis, com 29 anos de idade, o qual recebeu um presente singelo do patriarca depois que o mesmo recuperou a cruz ortodoxa das águas do Chifre de Ouro, que é o estuário divisor das águas do lado europeu e asiático em Istambul.

Publicidade

A título de ilustração, a Epifania do Senhor ou como é também chamada, Teofania, é uma festa que reúne toda a religiosidade do cristianismo oriental que é classificada como a própria manifestação do Cristo ou Deus que se encarnou. E é justamente nesse período em que a Igreja Ortodoxa se utiliza da data ,no sentido de comemorar o batismo de Jesus Cristo, o filho do Deus Todo-Poderoso.