Um Tribunal em Tóquio determinou que uma #Vidente pague uma indenização de 2,8 milhões de dólares a uma de suas clientes, depois de tê-la obrigado, por anos, a se prostituir e entregar o dinheiro em suas mãos. Segundo a Justiça daquele país, a vítima foi convencida pela vidente que possuía uma dívida enorme e que, para se livrar dos seus problemas, era preciso quitar a pendência, e para isso, sugeriu a prostituição.

O magistrado responsável pelo caso afirmou que a suposta paranormal controlava a mente da vítima e fazia com que ela entregasse grandes quantias de dinheiro, sem questionamentos ou perguntas, e que essa situação durou no mínimo dois anos.

Publicidade
Publicidade

O primeiro contato da vítima com a vidente foi ainda em 2008, por conta de seu divórcio, e 3 anos depois, ela passou a morar na casa da cartomante, que exigia dinheiro e a obrigava a viver em condições precárias.

Segundo a investigação, a vidente fazia a vítima pagar por reparos no apartamento e a obrigava a viver com poucos recursos, mesmo com os lucros da atividade na prostituição, que eram todos entregues à dona da casa.

Vítima teve a personalidade controlada pela vidente

Ainda segundo o juiz responsável pelo caso e pela sentença, a ré mantinha a vítima em constante estado de temor e que a sua personalidade foi controlada pela vidente, tornando-a refém dos seus comandos. Julgado agora, o processo foi instaurado em 2013, quando as autoridades tomaram conhecimento dos fatos e a vítima finalmente conseguiu se livrar da influência da paranormal.

Publicidade

Logo depois de ser divulgado, o fato curioso ganhou repercussão na internet, com a opinião de especialistas e também de leigos sobre o assunto, e colocou em cheque a dependência emocional e psíquica que algumas pessoas podem desenvolver quando se encontram fragilizadas por algum fato desagradável, como no caso, o divórcio da vítima.

O fato serve de alerta, segundo grande parte dos internautas, e as repercussões do caso ainda estão sendo discutidas nas redes sociais ao redor do mundo, afinal, trata-se de um caso curioso e que chama a atenção do público, principalmente em tempos em que a vidência e a paranormalidade estão em voga. #2017