Na tarde de terça-feira (10), a CNN publicou uma reportagem sobre Trump e a Rússia. Então, #buzzfeed publicou o documento de 35 páginas com o título “Esses repórteres alegam que #Trump tem ligações fortes com a Rússia”. O artigo também continha a seguinte frase: “As alegações não são verificadas e a reportagem contém enganos”.

Em resumo, o site da CNN, desonestamente, divulgou uma notícia falsa sobre o presidente eleito fabricada no fórum do 4shan declarando que as fontes eram não verificadas.

CNN publicou a seguinte declaração:

"A decisão da CNN de publicar cuidadosamente a reportagem encontrada sobre as operações do nosso governo é extremamente diferente que a da Buzzfeed de publicar pequenas notas sem fundamento.

Publicidade
Publicidade

O time de Trump sabe disso. Eles estão usando a decisão da Buzzfeed para refletir na CNN, que foi combinado com maiores organizações de notícias. Nós somos totalmente confidenciais nas nossas reportagens. Isso representa o ponto principal dos projetos do First Amendment, informar as pessoas sobre os trabalhos mais profundos do governo".

Na declaração, CNN defende-se afirmando que deixou claro que não iria publicar os detalhes sobre o "o documento de 35 páginas", justamente por não ter conferido a fonte da informação. E desafia ao "time de Trump" identificar e especificar o que não está incorreto na matéria.

Por consequência da confusão, o futuro presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recusou-se a responder uma pergunta feita por um repórter da CNN na sua primeira coletiva de imprensa após ganhar as eleições.

Publicidade

O correspondente da CNN para Casa Branca, Jim Acosta ficou repetindo “Já que o senhor está nos atacando, o senhor pode nos dar a chance de fazer uma pergunta, senhor?”

“Sua organização é horrível,” Donald Trump respondeu. “Não seja mal-educado. Eu não vou te dar direito de pergunta, vocês são FakeNews”.

Trump também chamou o site Buzzfeed News de “monte de lixo em declínio” e afirmou que a organização irá sofrer as conseqüências.

Enquanto Trump promete causar consequências aos portais de notícias, a CNN o desafiou a encontrar algo errado na matéria. Pelo visto, ainda haverá novos conflitos.

#Russia