Uma comissária de bordo, a popular aeromoça, com muita presença de espírito salvou uma adolescente de tráfico humano. #tráfico humano é a denominação moderna de rapto de menores para outros países ou regiões, afim de explorar o trabalho, venda de órgãos ou até adoção ilegal. Neste caso, por tratar-se de uma bela adolescente a suspeita era de tráfico para prostituição.

Voltando ao caso, a comissária Shelia Frederick de 49 anos notou uma situação estranha da jovem e o homem que a acompanhava no voo. Ela, muito experiente na profissão, logo percebeu que algo estava errado. A menina estava muito inquieta, mas não falava uma só palavra. Tudo que lhe era perguntado era respondido por seu acompanhante, que por sinal também levantou suspeitas por não se assemelhar com a jovem e ser muito mais velho. Outro fator que chamou a atenção, o homem muito bem vestido e a menina pelo contrário, muito mal vestida. Foi descrita por Sheila como "desgrenhada".

"Toda vez que ela tentava falar com os passageiros ele respondia por ela", disse Sheila. O voo da Alaska Airlines ia de Seattle para São Francisco.

Sheila se incomodou com a situação, mas sem um sinal de socorro, ela não poderia fazer nada, pois eventualmente a situação poderia ser normal, um pai e uma filha, ou um casamento entre pessoas de idades distintas. Ela não poderia inferir uma situação que colocaria seu emprego e sua reputação em risco. Mas ela tinha sentido que algo estava realmente errado.

Num determinado momento, a jovem conseguiu ir ao banheiro, num raro momento sozinha. Foi quando a aeromoça percebeu o movimento e se posicionou próxima ao banheiro. Assim que a garota abriu a porta sob os olhares do homem, Sheila imediatamente entrou no banheiro, como se fosse usar. Para sua surpresa, a menina tinha deixado a mensagem de socorro.

Neste momento, Sheila apagou a mensagem e certa de que a garota estava em apuros avisou o piloto que contatou a polícia. Ao desembarcarem, a polícia estava a postos para prender o sequestrador e traficante humano e a menina, que não tinha pais e morava nas ruas, foi levada para um abrigo e salva.

Sheila, apesar de muito feliz, lamenta a possibilidade de em 10 anos de profissão ter deixado passar algum sinal que pudesse ter salvo outras crianças do tráfico humano.

O caso é de 2011, mas veio a público agora numa campanha americana contra o tráfico humano. Os dados são alarmantes. Quase 1 milhão de pessoas são traficadas internacionalmente todo ano sendo 80% mulheres e 50% menores. A maior parte para prostituição. #Notícias #Crime