Um fenômeno admirável foi visto nos céus. Um tipo de #Arco-íris raro apareceu entre as nuvens da cidade de Singapura, que se localiza na ponta sul da Península Malaia, no sudeste asiático. O fenômeno recebeu o nome de arco-íris de fogo devido a sua aparência como se fosse uma chama de fogo resplandecente.

O céu e as nuvens ficaram em chamas

O arco-íris ficou lá entre as nuvens por cerca de uns 15 minutos. As imagens lembraram um pouco o aspecto de uma aurora boreal. Segundo um relato de alguém que viu a aparição, ele começou no formato de um circulo pequeno de tom alaranjado e foi crescendo até apresentar todas as outras cores que geralmente são vistas em um arco-íris comum.

Publicidade
Publicidade

A ciência explica

Muitos acreditam que esses sinais são avisos de Deus sobre o fim do mundo ou algo sobrenatural, como uma aparição de anjos e outros acontecimentos místicos. Mas a ciência explica que não há nada de sobrenatural no fenômeno de Singapura, que ele acontece quando a luz do sol reflete nos cristais de gelo das nuvens provocando uma abstração.

Fé e religiosidade

Religiosos e cristãos que acreditam na Bíblia dizem que Deus colocou o arco-íris nos céus como um pacto ou aliança com o homem. Seria uma promessa de que nunca mais haveria destruição sobre a Terra. Este relato está escrito no livro de Gênesis e conta a história de um dilúvio que inundou toda a Terra e a história da arca de Noé.

Na história contada na Bíblia, Deus se arrepende de ter feito o homem por causa da maldade que se espalhou sobre a Terra e avisa a Noé que iria destruir o mundo com uma grande inundação.

Publicidade

Porém, Deus pede para Noé construir uma grande arca de madeira para salvar muitas espécies de animais e plantas para repovoar a Terra após o dilúvio.

Sucesso nos cinemas

A história da arca de Noé, embora tida por muitos como um mito ou superstição, é bastante conhecida e já virou até sucesso de bilheteria nos cinemas. O lançamento do filme "Noé", com Russell Crowe, chegou a faturar 43,7 milhões de dólares nos Estado Unidos e explorou bem uma demanda que cresce por temas religiosos. #fenomenos