Geralmente, quando se veiculam notícias sobre o pequenino país da Europa, que é a Grécia, os assuntos estão intimamente relacionados com o elevado número de turistas atraídos pelas paradisíacas belezas naturais da nação, sua história milenar e, mais recentemente, pela crise econômica que afetou drasticamente a sua #Economia. Porém, desta vez, o fato é ainda mais inusitado ou melhor dizendo, destrutivo, pois foi encontrada uma bomba com 150 quilos de explosivo, não detonada, em uma obra de escavação na estação de trem do bairro de Kordelio, que fica situado na segunda cidade mais importante do país, Thessaloniki, que por sinal é simplesmente uma região deslumbrante e rica em cultura.

Publicidade
Publicidade

O governo grego local está mais interessado em isolar a área, em um raio de cerca de 2 mil metros, e assim poder neutralizar o artefato bélico que é datado da 2ª #Guerra Mundial, época em que a #Grécia ficou sob a ocupação alemã nazista das tropas de Hitler, sofrendo, entre outras atrocidades, inúmeros bombardeios aéreos e foi justamente em uma dessas situações, que a bomba em questão permaneceu intacta.

Ao todo, o número de pessoas que tem de ser evacuado é de aproximadamente 60 mil moradores, a fim de evitar qualquer tragédia que fuja ao controle e que não tenha sido analisada previamente. A movimentação de tais indivíduos deverá acontecer muito provavelmente no domingo, 12 de fevereiro, início da próxima semana, sendo que por um período de cerca de 5 horas as pessoas deverão ser proibidas de retornar para suas casas por medidas de segurança, conforme revelado pelas autoridades locais.

Publicidade

Na realidade, a bomba das tropas de Hitler estava localizada a 5 metros de profundidade, em um local muito perto da estação de trem de Kordelio, região oeste da cidade de Thessaloniki, que é o nome da filha do rei Felipe e irmã do rei Alexandre o Grande. O artefato foi descoberto por meio das obras que estão sendo executadas no processo de expansão de tanques para armazenar combustível inflamável no subsolo.

Já foram feitos ensaios de desativação da bomba; entretanto, sem sucesso. Voula Patoulidou, vice-governadora regional de Thessaloniki, falou aos jornalistas que, tanto a policia quanto os militares, buscarão desativar o “presente” alemão no próprio local onde foi encontrado.