No início desta semana, de acordo com um artigo do The Christian Post, o canal Sermon Index teve a sua conta do YouTube bloqueada e seus vídeos suspensos, supostamente por causa de muitas violações aos termos de uso da plataforma. Um representante do Sermon Index explicou ao The Christian Post que entrou em contato com a empresa para saber o motivo do bloqueio do seu canal, relatou que foi feita uma nova avaliação e que recebeu uma resposta vaga deles, informando apenas que o canal não tinha violado nenhum termo e que já estava no ar novamente.

Com essa resposta, ele acredita que há uma possível discriminação e perseguição religiosa envolvida por trás dessa atitude, pois não parece normal receber nenhum aviso no e-mail ou a razão exata pela qual a conta foi excluída.

Publicidade
Publicidade

O grupo dono do canal em questão possui um site com muitos arquivos de sermões cristãos, e já publicou milhares de vídeos de pregadores na plataforma, somando tudo eles já passaram da marca de 35 milhões de visualizações e seu canal já tem mais de 95 mil inscritos. Representantes do site não descartam a possibilidade de perseguição dentro da plataforma, e alerta todos os criadores de conteúdos cristãos.

Resposta do #YouTube para o incidente

"Nós reavaliamos a sua conta e concluímos que ela não viola nenhum dos nossos Termos de Serviço. Portanto, já reativamos. Isso significa que seu canal está novamente ativo e operacional, e em boas condições", disse a mensagem resposta.

"Quando recebemos um aviso do criador de conteúdo sobre uma exclusão errada, nós sempre revemos o conteúdo e tomamos as medidas adequadas, incluindo a restauração dos vídeos ou canais que foram removidos por engano", diz o YouTube sobre casos assim.

Publicidade

É importante salientar que uma razão sólida para essa desconfiança de perseguição está no fato que não é a primeira vez que a empresa bloqueia ou censura um conteúdo cristão em seu site. Em fevereiro do ano passado, eles removeram um curta-metragem sobre a perseguição cristã, intitulada Chased.

Em setembro do ano passado, a plataforma também bloqueou um trailer cristão do filme I'm Not Ashamed, embora, o trailer tenha sido autorizado estar no ar mais tarde.

O YouTube relata que em casos assim a culpa é do enorme volume de vídeos que a plataforma recebe diariamente, e às vezes eles acabam tirando do ar vídeos que estão corretos no seu conteúdo ou mensagem. #Polêmica #CRISTÃO