Enquanto cientistas forenses debatem se a maldade humana é adquirida pelo ambiente cultural, social e econômico, ou se ela é gerada desde o nascimento a partir de diferentes genes, atos de crueldade extrema continuam a acontecer e a aterrorizar pessoas em todo o mundo.

Dessa vez, um #Crime praticado em Amariya, no norte da Índia, na tarde da última terça-feira (21), causa indignação em todo o país e repercute na imprensa internacional.

Nazim Miyan, 20 anos, usuário de drogas, matou o garoto Mohammad Monis, 7, e comeu partes do seu corpo.

A primeira pessoa a testemunhar o escabroso ato praticado pelo sujeito foi a mãe dele.

Publicidade
Publicidade

Ela o encontrou numa casa abandonada sentado ao lado dos restos mortais do menor.

De acordo com o jornal indiano Hindustan Times, quando autoridades chegaram à cena do homicídio, ficaram desorientadas com o rapaz banhado em sangue, ao lado do cadáver desmembrado.

"O corpo estava deitado no chão com a cabeça decapitada ao lado. A pele no abdômen estava faltando e partes internas do corpo e manchas de sangue estavam espalhadas pela sala. Nazim tinha sangue no rosto e parece que ele comeu a carne da criança", confidencia um policial.

O canibal que se rendeu sem resistir a prisão, ainda teve de ser protegido dos populares enfurecidos que se reuniram à frente da delegacia para “fazer justiça com as próprias mãos”.

Em depoimento à imprensa, o pai da vítima, Mohd Naeem Qureshi, demonstrou espanto com relação ao episódio.

Publicidade

“Ele (Nazim) estava sentado ao lado do corpo do meu filho ... ele tinha sangue em suas mãos e rosto. Ele é um monstro ... quem mais teria coração para matar uma criança inocente e comer sua carne", desabafa Qureshi.

Apesar do ato de crueldade, vizinhos do assassino revelam que ele era uma pessoa tranquila, ainda que usasse drogas.

"Ele (Nazim) costumava cumprimentar a todos. Eu nunca vi ele criando um alvoroço ou desrespeitando ninguém", fala Md Mobeen Raza, morador da mesma localidade.

Autoridades informam que o indiano não tinha antecedentes criminais, mas que ele se comportou como um verdadeiro assassino ao ser preso.

“Ele parecia calmo como um criminoso endurecido quando o prendemos", disse o policial.

Nazim Miyan também é acusado de estuprar o menino. Agora, centenas de populares exigem que ele seja sentenciado à morte.

#Mídia #Curiosidades