Até o momento, Marte, o quarto planeta a partir do Sol, é considerado pela ciência um astro morto, de clima hostil e atmosfera rarefeita, inabitável ao ser humano.

Apesar da interpretação oficial de não haver vida inteligente no planeta vermelho (existe a chance de vida microbiana), documentos secretos da Agência Central de Inteligência (CIA), nos Estados Unidos, desclassificados e revelados ao público em janeiro deste ano, mostram um cenário diferente aos descritos pelas autoridades.

Desde o momento em que milhares de arquivos sigilosos referentes a ovnis e alienígenas foram exibidos pelo CIA, pesquisadores e curiosos de todos os cantos vasculham os documentos atrás de informações inéditas sobre o assunto.

Publicidade
Publicidade

Agora, a transcrição de uma sessão divulgada pelos espiões norte-americanos, exibida no jornal britânico Daily Star, de quarta-feira (8), aponta o uso de paranormais para desvendar os mistérios de Marte.

Um documento de 22 de maio de 1984, por exemplo, detalha a experiência de um médium usado pela CIA.

Conforme os escritos, o vidente (nome não informado) entrou em contato com uma espécie humanoide marciana. Ele descreveu os seres como sendo “muito altos e magros”.

A sessão entre o espião e o clarividente resultou numa observação bizarra do planeta vermelho. Segundo o paranormal, “pessoas muito grandes vestindo roupas estranhas” vivem em pirâmides construídas naquele mundo.

De acordo com o periódico, indivíduos com capacidades mediúnicas foram empregados pelo governo estadunidense durante a Guerra Fria (1945-1991), como parte do projeto Stargate, fundado em 1978 e encerrado em 1995.

Publicidade

Na ocasião, o funcionário da Agência Central de Inteligência escreveu os objetivos da pesquisa num envelope selado, que foi entregue ao psíquico. Porém, só foi aberto depois da entrevista.

Dentro, ele anotou coordenadas geográficas e perguntou como seria Marte em um milhão a.C.

Sem conhecer o conteúdo, o médium começou a dizer o que via, enquanto a CIA registrava tudo.

VIDA EM MARTE

Segundo o paranormal dotado de visão remota – capacidade de enxergar além do tempo e do espaço – havia “pessoas” altas e magras que ele visualizava como sombras.

"É como se eles estivessem lá, e eles não estão mais lá", comentou o médium.

Na sequência do documento transcrito pela CIA (veja abaixo), o clarividente, além de demonstrar espanto com a altura e a condição física dos humanoides, também disse estranhar as vestimentas daquela civilização.

“Vestindo algum tipo de roupa estranha".

Ao perceber que o médium procura racionalizar sobre as visões, o agente da CIA avisa para ele apenas “relatar os dados brutos, sem tentar juntar as coisas”.

Publicidade

PIRÂMIDES, ESTRADAS E OBELISCOS

No decorrer da entrevista, o clarividente ainda salienta a arquitetura de Marte, e ela se parece às antigas estruturas da Terra.

Segunde ele, o planeta é cheio de pirâmides, estradas e obeliscos.

Ao final do interrogatório, o médium alega entrar em contato com um marciano. Ele salienta que os aliens são “pessoas antigas e estão morrendo”.

"Eles são muito filosóficos sobre isso [morte]. Eles estão procurando uma maneira de sobreviver e eles simplesmente não podem", revela.

O paranormal finaliza a sessão ressaltando a visão de uma nave composta de paredes arredondadas e metal brilhante, usada pelas “pessoas grandes” para viajar a outro mundo “coberto de vegetação”.

Apesar das espetaculares visões detalhadas pela CIA, vale ressaltar que não há provas científicas sobre civilizações antigas em Marte.

No entanto, existe um homem, Andrew Basiago, filho de um ex-agente da CIA, que diz ter viajado a Marte quando criança, como parte de um projeto secreto da agência. Veja abaixo (vídeo legendado).

#Curiosidades #Viral #EUA