Mal assumiu o cargo maior da política dos #Estados Unidos, e Donald Trump já corre risco de sofrer um Impeachment. A chance é tão real que uma petição feita pelos democratas, com argumentos para que aconteça a saída de Trump, já arrecadou mais de 500.000 assinaturas.

Existem várias solicitações como essa circulando pelo site da Casa Branca, e exigindo que o presidente mostre todas suas relações comerciais pessoais. O objetivo é conseguir achar algum desvio dele, para que não tenha outra solução, a não ser deixar o poder.

Não seria o primeiro caso de tentativa de #Impeachment no país, isso porque, outros presidentes já passaram pela situação, mas acabaram sendo inocentados. Foi o caso de Biil Clinton, em 1999, e Andrew Johnson, há 130 anos. O primeiro foi acusado de ter assediado uma estagiária, Monica Lewinsky, mas não deu em nada, mais da metade dos senadores foram favoráveis pela inocência de Clinton. Já o outro, foi acusado de ter infringido uma lei daquela época, sem ter uma aprovação do senado.

Chance de Impeachment sobe nas casas de aposta

Em uma das casas de apostas mais conhecidas da Inglaterra, Ladbrokes, a probabilidade do mandato de Trump ser cassado é de 11 contra 10. Já num estabelecimento da Irlanda, chamada de Paddy Power, a chance é de 4 para 1, dele deixar a Casa Branca ainda neste ano.

Para Jéssica Bridge, representante da Ladbrokes, Trump garante que vai conseguir chegar no final do governo. Entretanto, o dinheiro das pessoas mostra o oposto. Segundo ela, a sociedade no geral não acredita que ele vai completar os quatro anos sem sofrer um processo de Impeachment.

Procedimento parecido com o brasileiro

O desenvolvimento do Impeachment nos Estados Unidos é bem semelhante ao que ocorre no Brasil. As acusações são entregues para a Câmara, que julga se a situação realmente procede. Em seguida, são levadas ao plenário, na qual acontece uma votação. Igualmente como aqui, o julgamento final é no senado, e para que tudo aconteça, é necessário que 67 dos 100 senadores votem a favor. #Donald Trump