Donald Trump se tornou o primeiro presidente a ter uma rejeição recorde, com mais de três milhões de pessoas protestando contra ele no dia de sua posse. O evento da posse, aliás, teve três vezes menos pessoas do que a posse de Barack Obama, que ao deixar a Casa Branca foi ovacionado, enquanto Trump virou alvo de críticas.

Na primeira semana de #Governo, Trump tomou importantes e impactantes decisões, tais como:

  • Ordenou a construção de um muro que separe o México dos Estados Unidos;
  • Limitou a entrada de imigrantes legais no país;
  • Proibiu a entrada de refugiados e estrangeiros de países de maioria muçulmana (decisão suspensa por um juiz na noite de sexta-feira, 3);
  • Proibiu que agências nacionais falem sobre assuntos que o governo não quer publicidade, envolvimento ou prefere deixar o andamento oculto dos americanos.

O resultado dentro das agências nacionais

Acostumados a agirem livremente, independentemente do presidente que governe o país, os membros das mais variadas agências não gostaram de se sentirem censurados por Trump e criaram contas, não oficiais, no Twitter, para divulgar todos os assuntos que forem vetados pelo presidente.

Publicidade
Publicidade

Todas as agências censuradas, são do governo americano.

Dentre os assuntos censurados, estão as polêmicas que envolvem o meio ambiente. A NASA também está incluída no rol de agências proibidas de falarem sobre determinados assuntos em público. Os funcionários das agências utilizam as hashtags #resista e #resistência em suas publicações. Um membro da NASA, disse que mal espera para #Donald Trump amenizar a situação e sair por aí declarando que as notícias divulgadas pelas contas extraoficiais são todas falsas.

O que incentivou as equipes a se unirem, de forma anônima para não sofrerem represálias, foi a decisão do novo governo americano, em pedir para que não fosse divulgado ao público, nenhuma informação que envolva o meio ambiente e os danos decorrentes das ações humanas. Trump também exigiu que todos os dados sobre o aquecimento global sejam retirados do site oficial da agencia de proteção ambiental.

Publicidade

Até o momento, Donald Trump, que possui duas contas no Twitter, ainda não se pronunciou sobre o ocorrido, mas logo no primeiro final de semana de seu mandato, ele e seus aliados se reuniram para discutir a liberdade da imprensa. Segundo o pensamento dele e de pessoas de seu partido, a imprensa e as mídias em geral, estariam usando ‘notícias falsas’ para deslegitimar o seu governo. Nenhuma decisão sobre o assunto foi divulgada publicamente. #Crise-de-governo