Uma imigrante portuguesa, de 52 anos, foi encontrada morta, dentro da própria casa. Tal como informa o site Notícias ao Minuto, as autoridades francesas foram alertadas pelos vizinhos por causa da estranha ausência de Ana Licata, que não viam há cerca de “quatro ou cinco dias”.

Juntamente com o presidente da Câmara local, os bombeiros decidiram entrar na casa, descobrindo o corpo já em estado de decomposição. As autoridades estão agora investigando o caso, não se sabendo ainda a verdadeira causa para a tragédia misteriosa.

Ana Licata vivia na França há cerca de 20 anos, bem perto da fronteira com a Bélgica, sendo, segundo relatos oficiais da polícia, uma pessoa muito reservada. De fato, uma fonte policial, à agência de notícias Lusa, descreveu a portuguesa como vivendo à margem da sociedade, tendo, antes de morrer, pedido para que ficasse sem água e eletricidade, podendo significar que a mulher teria planejado a sua morte.

A verdade é que, além da ausência prolongada, os vizinhos notaram que Ana Licata faltou a uma festa, em um café local, tendo nessa altura tomado a iniciativa de alertar as autoridades competentes, temendo que algo pudesse ter acontecido com a portuguesa. De acordo com o site Notícias ao Minuto, a autópsia deverá ser feita dentro de poucos dias, enquanto a investigação está decorrendo, tentando apurar, de uma vez por todas, o que de macabro aconteceu com a imigrante. Ana Licata foi encontrada morta na sexta-feira passada (10).

Nas redes sociais, muitos membros da comunidade imigrante portuguesa ficaram chocados e arrepiados com os detalhes macabros de mais uma morte envolvendo um dos seus membros. Na verdade, esse início de ano tem sido muito complicado para imigração portuguesa, um pouco por toda a #Europa, sendo que várias pessoas, acidentalmente ou por causa de crimes, já perderam a sua vida.

No ano passado, a comunidade portuguesa perdeu dezenas de vidas nas estradas europeias, um problema que, naturalmente, também afeta muito outras comunidades imigrantes na Europa, incluindo a brasileira. #Investigação Criminal #Emigração