O atual presidente americano, Donald #Trump deixou claro em toda sua campanha que protegerá os americanos do resto do mundo. Imigrantes ilegais não serão tolerados, haverá preservação dos empregos e chegou a pregar algo próximo a xenofobia. A Folha de São Paulo entrevistou um advogado especializado em #Imigração que respondeu algumas dúvidas sobre o assunto. Confira:

1) Quem terá mais dificuldade de entrar nos Estados Unidos?

A princípio nada muda para os brasileiros que já tem o visto. Já cidadãos da Síria, Irã, Líbano, Somália, Sudão ou Iêmen não poderão entrar (a justiça americana revogou a prorrogação, mas o Governo está trabalhando a favor da proibição). Os vistos de trabalho também deverão ser dificultados.

2) Brasileiros terão mais dificuldades?

Na realidade, nada indica. Aliás, o Brasil está entre os 10 países que mais enviam turistas para os EUA. Atualmente menos de 20% dos vistos brasileiros são negados e essa média deve se manter. Uma única exigência adicional passa a ser de jovens entre 14 e 15 anos e idosos entre 66 e 79 que deverão passar pela entrevista de visto (antes isenta).

3) E para os brasileiros que querer morar nos EUA?

Esses sim terão mais dificuldades. Principalmente para aqueles que pretendem trabalhar. Atualmente para emissão do visto de trabalho H-1B, é necessário que o candidato comprove um salário mais alto que o dos americanos. E apenas 85 mil desses vistos são liberados por ano. Trump quer aumentar o salário mínimo para emissão desses vistos e dificultar cada vez mais a moradia de estrangeiros.

4) Um turista com visto, passagem de volta e hotel reservados pode ser barrado?

Sim, como sempre foi. As regras não mudam. Depende da sua entrevista de entrada, seu nervosismo. Tenha sempre em mente que eles não querem que você entre para ficar ilegal no país.

5) O que já mudou para emitir os vistos?

Segundo um funcionário da Embaixada americana no Brasil, hoje apenas a exigência de entrevista para quem tem 14, 15 ou de 66 a 79 anos. Entretanto essa exigência pode e deve atrasar a emissão de todos os vistos a partir de agora.

6) O que pode mudar na política de intercâmbio?

Ainda não se sabe, mas Trump deve fazer alterações ao longo de seu governo. Essas mudanças devem afetar todos os vistos categoria J-1 no mundo e não apenas para os brasileiros.

7) Se há um planejamento para viajar ano que vem, deve-se antecipar a emissão do visto?

Para o turista brasileiro, as regras não devem ter mudanças drásticas. Apenas como já alertado, se você tem cidadania de algum país citados no item 1, use o passaporte brasileiro para emissão de visto e tenha em mente que a emissão dos visto devem estar mais demoradas. A decisão é sua, mas não é necessária uma "correria" para obtenção da liberação de entrada no país.

8) Um formando que quer trabalhar nos EUA terá mais dificuldade?

Sim, como exposto anteriormente o governo Trump quer mudar as regras e preservar o emprego dos americanos. Para isso espera-se que para obter o visto H-1B o salário mínimo deva ser aumentado e existe a possibilidade de redução das 85 mil vagas anuais para o tipo de visto. E não deve parar por aí. Talvez outras restrições sejam levantadas para dificultar cada vez mais. Uma boa alternativa pode ser o Canadá.

9) Cidadãos da CEE tem mais chances de entrar nos EUA que brasileiros?

A conta feita pelos EUA é basicamente a proporção de ilegais por habitantes daquele país. Por exemplo, o Brasil possui 1,57% de imigrantes ilegais considerando toda a população. Já a Bélgica conta com menos de 0,6%. Dessa forma, sim, os belgas tem mais chance de serem aprovados, para estudou ou até como turismo e trabalho.

Se você também possui passaporte de um dos 10 principais países da CEE, talvez tenha mais êxito usando esse passaporte na obtenção de seu visto.

10) E se o brasileiro foi pego ilegalmente no país?

As chances são muito pequenas de se obter um visto. Além disso há uma restrição, onde o ilegal só pode solicitar o visto depois de um período que pode ser de até 10 anos. #Visto americano