Um homem confessou um assassinato, nesta segunda-feira (13), na cidade de Adijinkpor, em Ikom, na Nigéria. A vítima foi identificada como Nnena Samuel, que era namorado do acusado, identificado como Ushie Domingo, de 35 anos. Para a polícia, ele é o principal suspeito de ter matado a sua namorada, e em seguida ter praticado violência sexual contra o cadáver da jovem.

Segundo informações do portal de notícias “Punch Metro”, o homicídio aconteceu no dia 27 de janeiro. Segundo o portal, o acusado cometeu o #Crime alegando que a vítima nunca tinha mantido relações sexuais com ele enquanto estava viva. O suspeito teria convidado a vítima para ir até a sua residência.

Publicidade
Publicidade

Onde cometeu o crime e culpou o diabo.

"É obra do diabo. Eu não sei como. Eu sou o único que a matou. Eu a matei com uma faca. Ela era minha namorada e eu a conhecia por apenas dois meses antes que esse incidente acontecesse. Dormi com o seu cadáver depois de matá-la. Era estranho dormir com um cadáver morto. Eu nunca tive sexo com ela quando ela estava viva porque ela nunca me deu essa oportunidade. Eu estava sempre dando dinheiro, mas ela não permitiu ter sexo com ela", disse o acusado.

Conforme informações da polícia local, no dia 26 de janeiro, o sujeito levou a vítima para o seu apartamento. Onde tentou manter reações sexuais com a vítima. Entretanto, ela teria se recusado. O homem ficou nervoso diante da negatividade da jovem, pegou uma faca e deferiu vários golpes de faca. Como se não bastasse, em seguida, manteve relação sexual com o corpo da jovem.

Publicidade

Ainda de acordo com a polícia, o dono do imóvel acionou a polícia relatando que um de seu inquilino havia assassinado uma mulher.

A vítima teve a mão direita, a perna esquerda e a boca cortadas pelo acusado. Os filhos da vítima, um de 9 e outro de 11 anos, confirmaram a polícia que a sua mãe havia sido convidada pelo agressor a visitar sua residência, mas nunca mais voltou.

“O suspeito foi preso em conexão com o crime e ele confessou que ele matou a mulher antes de ter conjunção carnal com ela. A investigação está em andamento e depois disso ele será acusado de um assassinato”, disse a polícia local. #Investigação Criminal #Casos de polícia