Por mais que seja cruel, tatuar #Gatos é algo comum na Rússia. Em uma simples busca pela internet, é possível ver gatos com diferentes tatuagens, bem como sendo usados em fotos com modelos, também tatuados. Mesmo que alguns grupos aceitem a prática, a mesma ainda é condenada mundialmente. O motivo: o sofrimento vivido pelo animal.

Quem possui uma tatuagem sabe que o processo de criação do desenho escolhido é muito doloroso, principalmente em áreas mais sensíveis do corpo. Quem faz uma tatuagem escolheu tê-la, logo, não há nada de errado nesse sofrimento temporal. Segundo especialistas, #Animais tatuados sofrem o dobro, pois sua pele é diferente da pele do ser humano, por isso eles são drogados para não sentirem dor, entretanto, o cérebro do animal continua funcionando e o excesso de tranquilizantes pode ocasionar um problema cardíaco no animal.

Publicidade
Publicidade

Recentemente, um tatuador identificado apenas como Aleksandr, da Rússia, divulgou imagens de seu gato tatuado. O animal, chamado de Demon, já possuía outras três tatuagens, antes de serem divulgadas as imagens do procedimento. O caso aconteceu na cidade russa de Yekaterinburg, e mobilizou ativistas dos direitos dos animais de todo o mundo, inclusive da cidade do tatuador. O gato, da raça Sphynx, que é aquele animal que tem pouco ou nenhum pelo, foi marcado com desenhos que representam a máfia russa.

O tatuador contou, em entrevista local, que sente pena de Demon, pois reconhece que, diferente dele ou de seus clientes, o animal não escolheu ser tatuado. Por outro lado, ele salienta que espera que nada de ruim aconteça ao gato, mas que ele possui outras quatro tatuagens e sempre se recuperou rápido dos procedimentos.

Publicidade

A ativista Yelizaveta Skorynina criticou Aleksandr, ressaltando que, além da crueldade, o gato corre risco de ter um sério problema de coração por conta da droga utilizada. O tatuador afirma que, como o animal tem uma pele diferente da pele humana, ele também executa um procedimento diferente com o bicho. O fato dividiu tatuadores também, pois, enquanto alguns não concordam com a tatuagem em animais, outros defendem Aleksandr, alegando que a prática é milenar e é a mesma usada para marcar gados.

No ano passado, um tatuador de Minas Gerais ganhou fama após tatuar a face de seu cachorro. As imagens viralizaram na internet e noticiários e, na época, falava-se que ele responderia por maus tratos contra animais. Anderson Damasceno, o tatuador, cancelou seu antigo perfil no Facebook, ou simplesmente passou a usar outro nome, e não se teve mais notícias do mesmo.

O que você acha disso? Deixe um comentário com a sua opinião. #Proteção Animal