Valdiceia Paixão de 38 anos desapareceu no sábado (28), e seu corpo foi encontrado carbonizado em um campo de futebol próximo onde a vítima morava, no domingo (29). O suspeito de ter cometido o #Crime é seu próprio marido Washington Valentim dos Reis, de 42 anos, que foi preso nesta quinta-feira (2), e confessou o crime na Delegacia de Homicídio da Baixada Fluminense.

O crime aconteceu no sábado, porém Valdiceia foi encontrada morta e com o corpo carbonizado em um campo de futebol, em Coelho da Rocha, em São João de Meriti, no Rio de Janeiro, no domingo.

Após descoberta do assassinato da mulher Whashington sumiu e foi encontrado pela polícia em Belford Roxo onde foi detido.

Publicidade
Publicidade

A filha mais velha do casal foi a primeira a descobrir a morte da mãe, através de uma rede social. De acordo com a jovem de 18 anos, Larissa Paixão, a família estava toda preocupada com o sumiço de sua mãe, quando foram postadas umas fotos em um grupo de uma rede social, em que a jovem participa. As fotos eram de uma mulher encontrada morta com o corpo muito queimado, e ao olhar as fotos ela reconheceu que se tratava de sua mãe, por causa de uma tatuagem.

A jovem contou que custou a acreditar no que estava vendo e se desesperou, saiu gritando e comunicando a todos que a mãe estaria morta.

Larissa contou que desde o inicio desconfiou do pai, pois logo quando sua mãe desapareceu por volta das 12h00min, ele teria chegado muito agitado perguntando por ela. E passou o dia inquieto, andando de um lado para o outro, e chegou a comentar estar preocupado com a demora da mulher.

Publicidade

À noite o homem avisou a filha que iria sair para beber com uns amigos. De acordo com a jovem ele chegou tarde e não conseguiu dormir e passou a noite andando de um lado para o outro.

No dia seguinte após ser descoberta a morte da mulher ele teria desaparecido, o que deixou ainda mais evidente seu envolvimento na morte de Valdinéia. A filha mais velha do casal contou ainda que no último natal, o pai teria agredido a mãe, com um golpe conhecido como “mata-leão”, e que sua mãe teria ficado com muita raiva do que aconteceu e disse a ele que queria se separar, mas ele não aceitava a separação.

Larissa disse que já há algum tempo a mãe manifestava o interesse em se separar, porém ele se recusava a aceitar. O casal estava junto há 20 anos. A jovem contou que chegou a aconselhar o pai a aceitar a separação, pois a mãe não possuía mais sentimentos por ele. Porém o pai insistia na relação, e ficava colocando fotos do casal com declarações românticas.

Segundo a polícia o crime foi passional, e por causa de ciúmes.

Publicidade

De acordo com o responsável pelo caso a mulher teria sido morta por asfixia, e depois teve seu corpo queimado. Conforme investigações o homem teve ajuda de um comparsa que a polícia esta buscando encontrar.

A filha do casal contou que seu irmão mais novo que tem apenas 11 anos, teve dificuldade em acreditar na história, só se deu conta quando viu as fotos, a criança chorou muito e não conversa com ninguém sobre o assunto.

Larissa afirmou estar sofrendo muito com o que aconteceu, que era muito difícil saber que sua mãe foi assassinada pelo próprio pai. Ela afirmou estar confusa a respeito do atual sentimento que tem pelo pai no momento: “Eu amava muito meu pai e agora não sei mais o que sinto por ele” – lamentou a garota. #Investigação Criminal