As vidas de dois jovens jogadores promissores de futebol foram deixadas em frangalhos, no ano passado, depois de serem acusados de estuprar Nikki Yovino, uma menina de 18 anos. Porém, o tribunal entendeu agora que Yovino teria relatado falsamente o incidente, fabricando provas físicas falsas. Alegadamente, a jovem teria inventado tudo isso para ganhar simpatia de um outro homem, por quem ela estaria apaixonada.

No tribunal, quando pressionada sobre algumas inconsistências nas suas declarações originais, ela admitiu que fez as acusações de #Estupro contra os dois jogadores de futebol da Universidade Sagrado Coração, EUA, na esperança de conquistar um namorado.

Publicidade
Publicidade

Inicialmente, ela alegou que os dois homens a puxaram para um banheiro e a seguraram, se revezando, agredindo-a sexualmente durante uma festa em casa, em outubro do ano passado, de acordo com o Connecticut Post.

Os dois jogadores confessaram as relações sexuais, mas alegaram que foi tudo consensual. Era a palavra deles contra a de Yovino que disse que pediu para eles pararem: "Eu não quero estar aqui, eu não quero fazer nada. Meus amigos estão me esperando lá fora, me deixem ir lá fora".

Porém, a mentira de Yovino começou a cair cedo. Logo de início, um outro estudante disse que ouviu a garota dizendo aos homens que "queria fazer sexo com eles".

Com tudo contra ela, a jovem acabou contando a verdade. Depois de ter transado com os dois rapazes, ela admitiu que inventou a história de agressão sexual, porque foi a primeira coisa que veio à mente e ela não queria perder um potencial namorado, de quem ela estaria gostando.

Publicidade

"Ela afirmou que acreditava que quando o outro aluno ouvisse a alegação de estupro, ele iria ficar irritado e simpático para com ela", de acordo com o que ficou declarado no tribunal.

Mark Sherman, advogado de Yovino, disse que ainda não recebeu relatos policiais e filmagens relacionadas ao caso, mas disse ao New York Post que espera que a garota se declare inocente em uma audiência no próximo mês: "Os detalhes do que aconteceu aqui sairão no momento apropriado durante o processo judicial".

Entretanto, Yovino foi libertada depois de pagar uma fiança de quinze mil reais, mas enfrenta até cinco anos de prisão, se for condenada por acusação de violação, de acordo com o The Connecticut Post.

A #faculdade não revelou qualquer informação sobre esse caso e desconhece se os jovens futebolistas voltaram a ser reintegrados no time de futebol, ou se vão aguardar pelo desfecho desse caso. #Justiça