Casos de abuso sexual acontecem no mundo todos os dias. No entanto, alguns deles, acabam dando o que falar. Nesta quarta-feira, 15, por exemplo, o site do jornal Extra, do Rio de Janeiro, repercutiu um famoso caso noticiado pelo jornal 'Daily Mail'. Ele fala sobre uma americana que, após trair a melhor amiga, acabou indo parar na cadeia. A jovem, de dezenove anos, loira e bonita, acabou sendo condenada a nove meses de prisão, após ter transmitido, ao vivo, o #Abuso Sexual da colega por meio de um aplicativo da internet, o Periscope. A criminosa foi identificada como Marina Lonina, e recebeu sua sentença esta segunda-feira, 13, numa corte de Columbus, no estado de Ohio, nos Estados Unidos.

Durante o julgamento, a acusada acabou admitindo sua culpa no #Crime. Ela então acabou sendo condenada pelo crime de transmissão do estupro, mas também de obstrução da justiça. Isso porque, segundo o jornal Extra, na época em que aconteceu o abuso, ela não denunciou o caso aos policiais, além de ter demorado a entregar provas sobre o crime ocorrido aos investigadores, já que foi a partir do celular dela que o estupro foi filmado e transmitido ao vivo. A colega de Marina foi obrigada a fazer sexo com outro rapaz, Raymond Gates, de vinte e nove anos. As garotas eram melhores amigas. A vítima é menor de idade e não teve o seu nome revelado.

O estuprador da moça já está preso desde o ano passado. Em outubro de 2016, ele acabou sendo condenado a nove anos de reclusão, em regime fechado. Inicialmente, a corte também acusava Marina de estuprar a jovem, pois acreditava-se que ela ajudou no crime, sequestrando e agredindo a jovem. Nesse caso, ela e o rapaz, por acúmulo dos crimes, poderiam pegar até quarenta anos de prisão. Eles, no entanto, decidiram fazer um acordo judicial, que ajudou a amenizar as sentenças.

O abuso aconteceu a 26 de fevereiro do ano passado. Ou seja, demorou quase um ano para que o caso tivesse um fim. A vítima do estupro disse que foi alvo de uma armação e manipulação para ir ao local onde aconteceu o sexo. Ela ainda alega que não queria a relação e não autorizou a filmagem.