Joy Wangari, uma menina de dez anos, morreu depois de ter sido espancada. Porém, também o local onde o espancamento decorreu está chocando. Foi em uma sala de aula, que a menina passou por todo esse horror, quando um professor espancou e ordenou os outros meninos para fazerem o mesmo, conduzindo à morte da criança. Ela ainda conseguiu ir para casa, mas acabaria por ir para o hospital, onde morreu pouco depois, não resistindo para os graves ferimentos.

Foi na #Escola primária de Mukandamia, cidade de Laikipia, no Quénia, que Joy foi assassinada. Alegadamente, o professor teria ficado irado por a criança não estar tendo bom aproveitamento na matéria.

Publicidade
Publicidade

A menina não estaria lendo bem e, por essa razão, o professor teria batido ou ordenado que as outras #crianças lhe batessem. Neste caso, existem duas versões para a história do espancamento, apesar de ser o professor o único adulto que estava presente nessa sala de aula.

Mary Wanjiku, mãe de uma das crianças presentes nessa sala de aula, revelou para o jornal Nairobi News, o que o filho tinha falado para ela, dando conta de que o professor teria ordenado para as crianças baterem em Joy. "Os colegas foram ordenados a ensiná-la a ler e a bater se ela não conseguisse", disse ela. "O professor começou a golpeá-la nas costas quando a garota disse que não sabia ler".

No entanto, existe uma outra versão, que dá conta que depois de ter espancado violentamente a menina, o professor mandou os meninos baterem nela para encobrir suas culpas.

Publicidade

Alegadamente, a ideia dele seria que todos pensassem que as agressões na criança tivessem sido causadas pelos outros meninos, e não por ele. O motivo continuaria sendo o mesmo, ele teria ficado enfurecido porque a criança não sabia ler. A pena da menina por esse erro foi a morte.

Do professor, não se soube mais nada, e ele poderia estar escondido, aguardando pelo desenvolvimento desse caso. De acordo com o jornal The Sun, não foi feita ainda nenhuma detenção, mas existe uma investigação da polícia. Um funcionário da escola, Kamemba Kamande, disse que "vão autuar" se "algum professor for culpado".

Enquanto nada acontece, alguns pais estão retirando seus filhos da escola, temendo por sua segurança. #Professora